Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    05/12/2018

    Prefeito entrega Plano Diretor para nova análise na Câmara Municipal

    ©DIVULGAÇÃO 
    O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, entregou pessoalmente o PDDUA (Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental de Campo Grande) à Câmara Municipal, nesta terça-feira (04), para uma nova análise. O texto enviado pelo Legislativo teve algumas emendas reconsideradas, o que, segundo o presidente da Casa, vereador Prof. João Rocha, não deve comprometer a regular tramitação da proposta até o final do ano.

    Temos até 30 dias para nos manifestarmos em cima desta mensagem que o prefeito mandou. A grande maioria das emendas foram aceitas, e algumas reconsideradas. Chega na Casa uma nova mensagem. Os técnicos da Casa farão uma análise, assim como as comissões permanentes. Queremos resolver o mais rapidamente possível, desde que não comprometa a qualidade dos trabalhos. Até a última sessão, dia 20 de dezembro, teremos tudo resolvido”, afirmou Rocha.

    O PDDUA trata das normas para expansão e organização da cidade para os próximos 30 anos, no que se refere ao meio ambiente, urbanismo, sustentabilidade e uso e ocupação do solo. Foram realizadas 69 reuniões públicas em 69 bairros ouvindo 908 pessoas, além de consultas pela internet e aplicação de formulários. Ainda, foram promovidas 12 audiências públicas com 683 participantes, reuniões com instituições e ampla discussão no Conselho Municipal de Urbanização. 

    Ainda, a Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final promoveu audiências públicas para debater todos os tópicos abrangidos pelo Plano Diretor. Discutiu-se meio ambiente, habitação, mobilidade urbana, patrimônio cultura, transporte coletivo, sustentabilidade, e também as alterações sugeridas pelo Ministério Público no que concerne a planejamento urbano, meio ambiente e formas de tornar a cidade mais homogênea em relação a desenvolvimento. 

    Segundo o prefeito Marquinhos Trad, o trabalho feito pela Prefeitura e pelos vereadores busca o melhor para a cidade. “Mandamos o texto original e a Câmara fez alguns ajustes. Tudo foi feito com a maior boa vontade, com várias audiências, foi exaustivamente debatido com muitos técnicos, com profissionais, e por várias pessoas. Pode ter opiniões diferentes? É natural. Mas o que a gente aprontou de melhor está aqui na Câmara Municipal”, garantiu.
    ©DIVULGAÇÃO

    ASSECOM


    Imprimir