Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    21/11/2018

    Trabalhos voltados a igualdade racial são destaques na premiação do I Prêmio Respeito dá o Tom

    ©DIVULGAÇÃO
    A Águas Guariroba premiou na noite de ontem (20) no museu do MARCO, as escolas finalistas do 1º Prêmio Respeito dá o Tom. Com 122 trabalhos inscritos nas categorias artes plásticas, projeto de pesquisa e vídeo, o Prêmio teve como iniciativa estimular nas escolas as práticas de ações na promoção da igualdade racial, superação do racismo e empoderamento da população negra.

    O evento contou a presença de diretores da Águas Guariroba e da Aegea, holding da concessionária, do rapper carioca, Jota Jr., da Procuradora de Justiça de Mato Grosso do Sul Jaceguara Dantas e da fundadora do Coletivo de Mulheres Negras de Mato Grosso do Sul, a professora Raimunda Luzia Brito que falaram sobre as suas experiências no enfrentamento ao racismo.
    Jaceguara Dantas
    “O programa Respeito dá o Tom está sendo trabalhado há um ano pela Águas Guariroba e é gratificante saber que outras pessoas também militam na mesma missão que a nossa. O nosso objetivo é continuar com o programa até que tenhamos fortalecendo a inclusão social e fazendo com que Campo Grande seja uma referência para o Brasil”, ressaltou a presidente da Águas Guariroba, Lucilaine Medeiros.
    presidente da Águas Guariroba, Lucilaine Medeiros
    Para o diretor de operações da regional centro-oeste da Aegea e responsável pelo Programa Respeito dá o Tom, Josélio Alves Raymundo, o Prêmio é um importante passo para se promover o debate sobre a igualdade racial dentro das escolas e também um estímulo à reflexão sobre o tema. “Este prêmio nos mostra como as escolas têm muito a nos ensinar. Ficamos muito surpresos com a qualidade e a criatividade dos projetos apresentados pelos professores e alunos, sendo um marco para que Campo Grande amplie este debate e que tenhamos cada vez mais trabalhos maravilhosos como estes”, destacou.
    professora Raimunda Luzia Brito
    Os três primeiros colocados de cada categoria foram premiados, sendo o primeiro lugar com R$ 7 mil, o segundo com R$ 3 mil e o terceiro lugar com R$ 2 mil. Na categoria Projeto de Pesquisa, a escola Estadual Joaquim Murtinho foi a vencedora, com o projeto “Diversidade Étnico-Racial e Cultural”. Autor da pesquisa, o professor Izadir Francisco de Oliveira, destacou a premiação como essencial na ampliação de debates e pesquisas sobre o enfrentamento ao racismo.
    Josélio Alves Raymundo
    “Estamos felizes com o reconhecimento, pois representa a ampliação de pesquisas no enfrentamento à desigualdade racial. É importante que as empresas estimulem programas como o Respeito dá o Tom, fazendo com que debates sobre a igualdade racial cheguem até a sociedade”, disse o professor.

    Na categoria Vídeo, “A Cor de Cássia” da Escola Estadual Aracy Eudociak foi o vencedor. Para a aluna Élida Barros de Jesus, que interpreta a personagem Cássia, o Prêmio contribui para o debate sobre o preconceito dentro de sala de aula.
    rapper carioca, Jota Jr
    “O Prêmio representa muito para mim, pois sou negra e sofri muito com o racismo na infância. É um privilégio participar desta premiação e uma satisfação em poder apresentar um trabalho que contribui para a reflexão sobre o racismo. A iniciativa da Águas Guariroba com o Prêmio é muito importante, já que se trata de uma oportunidade de ampliarmos o respeito ao próximo e auxiliar os jovens a lidar com o preconceito”, destacou.

    A Escola Estadual Amélio de Carvalho Bais foi a vencedora na categoria Artes com o projeto “Poetisas do Amélio”. Para a aluna Raisla Andrade, uma das autoras do projeto, falar sobre o racismo através da arte é uma oportunidade de ampliar a reflexão dentro das escolas para outros tipos preconceito também.

    “A sensação é de um esforço recompensado. Não somente pelo prêmio, mas pelo empenho de todos voltado a um tema muito importante para a sociedade. É indispensável termos mais projetos que trazem a discussão sobre o preconceito para as escolas, pois estimulam o debate não só ao racismo, como também ao machismo, violência e à homofobia”, disse a aluna.

    Veja abaixo a relação dos vencedores em cada categoria do 1º Prêmio Respeito dá o Tom:

    Projeto de Pesquisa

    1º lugar - Escola Estadual Joaquim Murtinho – Projeto de Diversidade Étnico-Racial e Cultural

    2º lugar - Escola Estadual Arlindo de Andrade Gomes – África que a Gente Não Conhece

    3º lugar - Escola Estadual Zumbi dos Palmares – O Empoderamento da Mulher Negra com Ênfase na sua Atuação no Campo Científico

    Artes

    1º lugar - Escola Estadual Amelio de Carvalho Bais – Poetisas do Amélio

    2º lugar - Escola Estadual Maria de Lourdes Vidal – Teatro Respeite o Tom

    3º lugar - Escola Estadual Joaquim Murtinho – Projeto A Ciência Não Tem Cor

    Vídeo

    1º lugar - Escola Estadual Aracy Eudociak – A Cor de Cassia

    2º lugar - Escola Estadual Manoel Bonifácio – A Alma Não Tem Cor

    3º lugar - Escola Estadual Joaquim Murtinho – Epistemicídio: O Homicídio da História




    ASSECOM


    Imprimir