Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    26/10/2018

    No último debate, Reinaldo reafirma compromisso de melhorar todas as escolas estaduais

    Salas terão ar-condicionado; governador também falou sobre saúde, segurança e habitação

    ©Divulgação
    Todas as escolas estaduais de Mato Grosso do Sul vão receber investimentos para dar melhor condição de aprendizado aos alunos. O compromisso é do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), candidato à reeleição, que participou do último debate do 2º turno, realizado na noite de quinta-feira (26) pela TV Morena (Globo).

    Das 366 escolas que integram a Rede Estadual de Ensino (REE) de Mato Grosso do Sul, 265 (72%) já passaram por obras de melhorias. Entre janeiro de 2015 e julho de 2018, foram investidos R$ 71,4 milhões (recursos estaduais e federais) nos prédios, entre reparos, reformas e ampliações.

    As outras escolas vão passar por reformas no segundo mandato de Reinaldo. Entre as melhorias está a instalação de ar-condicionado nas salas de aula, para que os alunos tenham mais conforto e condições de se concentrar no aprendizado. 

    “Avançamos nos programas que são fundamentais como Matrícula Digital, Mira Educação, que combate a evasão e a repetência, fizemos o programa AJA (Avanço dos Jovens na Aprendizagem), para não deixar os jovens na aprendizagem, e avançamos muito na restauração das escolas”, disse. 

    “Nós conseguimos um empréstimo, que vai levar a todas as outras que não tiveram, condições de fazer acessibilidade, melhoria, restauração e colocar ar condicionado nas escolas”, acrescentou. 

    Ainda na área de educação, Reinaldo lembrou que Mato Grosso do Sul paga o melhor salário de professores do Brasil, reafirmou o compromisso de incorporação do abono para os servidores administrativos, falou das 54 escolas de tempo integral, e destacou que o aprendizado dos alunos em Mato Grosso do Sul aumentou em todas as etapas da educação. 

    Durante o debate, Reinaldo falou ainda sobre saúde, combate à corrupção, geração de empregos, segurança pública e habitação. 

    ASSECOM



    Imprimir