Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    07/10/2018

    ELEIÇÕES 2018| Kátia Abreu acredita em segundo turno com Ciro Gomes

    "Tenho pavor só de imaginar isso acontecendo no meu país", disse a candidata sobre o fato de Jair Bolsonaro aparecer em primeiro em pesquisas eleitorais

    Candidata a vice-presidente na chapa de Ciro Gomes votou no Colégio Caic às 11h Divulgação
    Kátia Abreu, senadora e candidata a vice-presidência de Ciro Gomes (PDT), chegou ao Colégio Estadual Caic, sua zona eleitoral, às 11h desde domingo. Estava acompanhada do seu esposo Moisés Gomes, disse estar confiante na chegado de Ciro no segundo turno e descarta qualquer apoio caso ele não chegue à disputa.

    A candidata acredita no crescimento de Ciro porque, segundo ela, as pessoas vêm mudando o voto nos últimos dias, tanto dos dois candidatos que apresentam vantagem nas pesquisas, quanto daqueles com percentuais menores, seja por “medo da volta do PT ou da entrada do Bolsonaro” afirma.

    Kátia disse também que espera uma votação expressiva em seu candidato no Tocantins, seu colégio eleitoral. “Tenho pedido aos tocantinenses de forma suprapartidária o voto no Ciro. Por isso, me afastei da eleição estadual sem demostrar minha preferência por nenhum candidato para que todos pudessem entender que no momento abro mão de escolha para defender a candidatura de Ciro”. 

    Anseia que os candidatos entendam a importância de ter uma vice-presidente do Tocantins eleita para o progresso e desenvolvimento do Estado. “O estado está passando por problemas econômicos. Um dos três candidatos a governador que chegarem à vitória será o meu governador, porque o que me importa é o Tocantins”, conferiu. 

    Bolsonaro

    Kátia falou do candidato Jair Bolsonaro (PSL), apontando como primeiro nas pesquisas. A senador afirma que sua eleição trará medo e que direitos já conquistados no Brasil, serão perdidos.

    “Perderemos avanços sociais que tivemos. Serão quatro anos de atraso, de truculência, de reacionarismo, de fascismo porque é isso que ele é. Tenho pavor só de imaginar isso acontecendo no meu país”, finalizou.

    Fonte: T1