Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    04/10/2018

    Deputado Dr. Paulo Siufi contesta números da Educação divulgados pela SES

    Os dados contestados foram divulgados no Diário Oficial de MS

    ©Luciana Nassar
    O deputado estadual Dr. Paulo Siufi (MDB) foi à tribuna durante sessão plenária da Assembleia Legislativa de hoje, 4, para contestar os índices da área da educação divulgados pela Secretaria de Estado de Educação (SES). O parlamentar denuncia “manipulação de dados para mascarar o caos que a atual política educacional implantou no ensino médio da Rede Estadual”.

    Entre os anos de 2015 e 2017, o Governo Federal, por meio do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) aplicou provas nas disciplinas de Português e matemática, com intuito de medir e apurar a média de proficiência nessas disciplinas. O estado caiu sete pontos na prova de Língua Portuguesa, ganhando apenas do Pará e Amazonas. Em Matemática, Mato Grosso do Sul foi o quinto estado com a maior queda na avaliação.

    Para que o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) estadual não despencasse aos olhos da população e do País, a SES implantou a progressão parcial, com a Resolução 3357/2017, que fez com que nenhum aluno da rede estadual reprovasse. “Isso foi feito no apagar das luzes de 2017, sem que os profissionais da rede de ensino e pais de alunos fossem ouvidos”, afirmou Siufi.

    Conforme o deputado, tal estratégia trouxe prejuízos à aprendizagem dos alunos em Mato Grosso do Sul e colocou os indicadores do Estado como os piores de sua história e um dos mais baixos do País. “Se o governo anterior, do André Puccinelli, tivesse aplicado essa progressão, seria o primeiro no ranking do Ideb. Mas foi responsável e não utilizou desse meio, por entender que o mais importante é termos alunos aprendendo”, ressaltou.

    De acordo com o parlamentar, a Secretaria de Estado de Educação tentou se defender, dizendo que o intuito era o de não prejudicar os alunos que foram retidos em até três matérias. “Conversei com professores e diretores de escolas que me afirmaram, categoricamente, que os alunos fazem apenas uma avaliação de conteúdo superficial com o intuito de que sejam aprovados no processo de progressão parcial”, informou Dr. Paulo Siufi.

    O deputado comprometeu-se em acompanhar o desenvolvimento e o atingimento das metas preconizadas pelo Ministério da Educação. “Se quisermos melhorar o setor da educação, proponho que se faça um conselho consultivo aqui na Assembleia Legislativa para se juntar à Comissão de Educação, da rede de ensino diretores e professores, a fim de fiscalizar esses índices de forma correta, sem maquiagem, e acompanhar o Plano Nacional de Educação e o cumprimento de suas metas”, apontou Siufi.

    Fonte: ASSECOM
    Por: Adriana Viana


    Imprimir