Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    05/07/2018

    ANAURILÂNDIA| Município cedeu 66 mil quilômetros de área para usina Porto Primavera

    Terreno representa cerca de 30% do espaço total utilizado pelo lago

    Prefeito Edinho Takazono afirma que a expectativa é grande sobre a indenização ©Divulgação
    Anaurilândia é um dos seis municípios sul-mato-grossenses que será indenizado com o dinheiro do fundo judicial pago pela Companhia Energética de São Paulo (Cesp), em razão do não cumprimento do acordo de compensação ambiental, necessário em função da construção do lago da usina Porto Primavera. 

    Em razão de ser o município mais impactado ambientalmente com a obra, 66 mil hectares de um total de 220 mil hectares que é o tamanho do lago, o recurso destinado para Anaurilândia totaliza R$ 130 milhões. 

    Na avaliação do prefeito Edinho Takazono a notícia traz alívio para a administração que há mais de uma década solicita reparação da empresa.

    "A prefeitura entrou com uma ação há 13 anos, pois, a Cesp não cumpriu nenhuma das contrapartidas e o município contribuiu conforme acordado. Temos outra ação com trânsito em julgado e agora com a informação de que o fundo judicial será liberado ficamos aliviados, pois, chega em momento de dificuldade para todas cidades sul-mato-grossenses", argumenta. 

    Questionado sobre as prioridades de aplicação do dinheiro, Takazono, antecipa que contará com apoio do ministério público estadual, para criação de um fundo que atenderá o planejamento de aplicação. 

    "Nosso objetivo é focar em investimentos que estimulem o turismo, já que temos 100 quilômetros de margem do lago, e temos um excelente balneário que não é muito conhecido e na geração de renda, um projeto de piscicultura em tanque rede, para produção de pescado", detalha o chefe do executivo municipal. 

    SOBRE O FUNDO JUDICIAL

    Nesta quarta-feira (4), a Assembleia Legislativa aprovou em caráter de urgência, a aprovação do projeto apresentado pelo executivo estadual, solicitando que a liberação de utilização do fundo judicial pago pela Cesp ao governo de Mato Grosso do Sul, aumente de 70% para 80%. 

    A indenização paga ao governo e municípios do estado soma R$ 560 milhões, que serão divididos em 50%. Além de Anaurilândia serão contemplados: R$ 70 milhões para Bataguassu, R$ 39 milhões para Santa Rita do Pardo, R$ 15,8 milhões para Três Lagoas e Brasilândia, além de R$ 7,9 milhões para Batayporã.

    Fonte: CE
    Por: ALINE OLIVEIRA


    Imprimir