Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    25/05/2018

    Encontro Jovens da Agropecuária: Saito destaca que o jovem é o bônus do agronegócio, na etapa Campo Grande

    ©Divulgação
    O auditório do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS foi sede de mais uma edição do Encontro Jovens da Agropecuária, etapa Campo Grande. A iniciativa, realizada nessa sexta-feira (25), é do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural e da CNA – Confederação Nacional da Agricultura.

    Na abertura, o presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito, falou do comprometimento desta geração com o agro sul-mato-grossense. “Quando vejo a Casa Rural repleta de jovens em busca de conhecimento, tenho a certeza de que existem pessoas, que assim como as entidades ligadas ao setor, estão comprometidas com o agro. Hoje o Brasil está entre os países com maior número de jovens. Isso é um bônus demográfico que faz com que o engajamento no agro, seja ainda maior e renda excelentes frutos”, afirmou o presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito.

    A deputada federal e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), Tereza Cristina Corrêa da Costa, também participou do evento. “Foi aqui, na Casa Rural, que me apaixonei pelo trabalho coletivo e vi que poderia contribuir com o agro. O jovem traz a audácia da qual precisamos tanto no setor como na política. Discutir, como estamos fazendo aqui hoje, é uma forma de amadurecer as ideias. Posso dizer com exatidão que o Mauricio tem feito um excelente trabalho na Famasul”.

    A presidente da Comissão Famasul Jovem, Roberta Maia, falou da importância de trazer lideranças para os eventos. “Os últimos dias foram desafiadores, com três eventos seguidos. É muito importante esse espaço aberto pela Federação para os jovens e as empresas que acreditaram na proposta do Encontro”.

    Os debates promovidos nos encontros foram lembrados pelo presidente do Movimento Nacional dos Produtores (MNP), Rafael Gratão. “São eventos como esse que oportunizam discussões e preparam este público para o mercado de trabalho. É muito gratificante ver gente interessada e empenhada pelo campo”.

    Palestras

    O coordenador do Núcleo Econômico da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), ministrou a primeira palestra que abordou o atual cenário para o agronegócio e as oportunidades para o futuro. “As projeções mostram que os produtores rurais têm pela frente um horizonte desafiador, que irá exigir gestão de custo, risco e eficiência na produção. Quem apenas planta e espera colher, estará fora do mercado”.

    Para o jornalista e escritor, Nicholas Vital, existem muitas inverdades quanto ao uso de defensivo. “O Brasil é um país tropical, que tem a vantagem de produzir por ano, três safras. Em contrapartida estamos com maior propensão em receber pragas e doenças. Isso exige controle fitossanitário mais eficaz, que garanta produtividade. Estamos falando de uma tecnologia e precisamos deixar de lado o preconceito e os mitos que foram criados nos últimos anos”.

    Também participaram do evento o diretor tesoureiro do Sistema Famasul, Luis Alberto Moraes Novaes; o superintendente do Senar/MS, Lucas Galvan; o presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Ruy Fachini; e o superintendente da Semagro, Rogério Beretta.

    Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul 
    Por: Ellen Albuquerque


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS