Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    02/04/2018

    Audiência pública discute valorização dos administrativos das escolas públicas


    A Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (FETEMS) em parceria com o deputado estadual Amarildo Cruz (PT) realiza nesta terça-feira, dia 3 de abril, a audiência pública "Por uma Carreira que Valorize os/as Administrativos da Escola Pública".

    Os administrativos em educação do Estado recebem um salário de R$ 828,93 (oitocentos e vinte e oito reais e noventa e três centavos), mais um abono de R$ 200,00 (duzentos reais). Sem esse abono, que serve de complemento salarial, o piso desses servidores não alcança nem mesmo o salário mínimo, atualizado em R$ 954,00 (novecentos e cinquenta e quatro reais).

    Para o deputado Amarildo Cruz a reivindicação dos servidores é legítima, pois a atual condição demonstra total falta de valorização dos trabalhadores por parte do Poder Público, além de afrontar a legislação.

    "Essa é uma bandeira de luta histórica dos administrativos, que têm total apoio dos professores e demais servidores da educação, pois boa parte da categoria não recebe nem mesmo o salário mínimo, garantido pela Constituição Federal. O abono pago não faz parte do piso salarial, o que causa insegurança financeira a centena de trabalhadores", comentou.

    Presidente da Fetems, Jaime Teixeira é enfático em dizer que os trabalhadores não aceitam mais receber apenas o abono. "Não aceitamos apenas a prorrogação do abono, nós queremos que esse abono se transforme em Piso para os trabalhadores/as Administrativos em Educação".

    Os organizadores do debate e os servidores esperam com essa audiência, sensibilizar o Governo do Estado para que cumpra o compromisso que fez com a categoria de apresentar uma proposta em relação a incorporação do abono, tornado-o parte do piso e a reestruturação da carreira dos profissionais.

    A audiência pública é aberta a toda a população e está marcada para as 14 horas, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.

    Fonte: ASSECOM
    Imprimir