Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    03/03/2018

    Referência no Brasil, MS aprova 85% dos projetos habitacionais no Ministério das Cidades

    © Chico Ribeiro 
    Mato Grosso do Sul é um dos estados do País que mais conseguem liberação de recursos federais para a construção de casas populares. Cerca de 85% dos projetos apresentados junto ao Ministério das Cidades e à Caixa Econômica Federal (CEF) são aprovados. Os dados que colocam o Estado com a melhor performance no setor habitacional no Brasil foram revelados na segunda-feira (26.2) durante evento que autorizou a construção de 1.238 novas moradias nos municípios de Campo Grande e Sete Quedas.

    “Na última seleção de projetos, Mato Grosso do Sul conseguiu êxito em 85% das propostas apresentadas junto à Caixa Econômica Federal. A média nacional é de 35%”, revelou o superintendente regional da CEF no Estado, Evandro Narciso Lima. “É sem dúvidas a melhor performance de contratação do Brasil”, afirmou a diretora-presidente da Agência de Habitação Popular do Estado, Maria do Carmo Avesani Lopez.
    Superintendente regional da CEF em MS, Evandro Narciso Lima.
    Novas moradias

    A construção de 1.138 moradias em Campo Grande e de 100 em Sete Quedas foi autorizada pela instituição financeira em fevereiro deste ano. “Esse resultado revela a sintonia do Governo do Estado com as prefeituras, pois envolve um trabalho técnico que foi aprovado pelo Ministério das Cidades e pela Caixa Econômica. Agora, vamos viabilizar o que há de mais sagrado para as famílias: moradia digna”, destacou o governador Reinaldo Azambuja.

    Com a assinatura dos contratos para a início das construções, as empresas iniciam os trabalhos nos canteiros de obras. Em Campo Grande, as moradias serão erguidas nos residenciais Portal Laranjeiras (368), Sírio Libanês I e II (256), Jardim Aero Rancho 7 (224), Jardim Aero Rancho 8 (224) e Jardim Inápolis (66). Em Sete Quedas, serão 50 unidades no residencial Itaporã I e outras 50 no II.

    No total, serão investidos R$ 128,4 milhões na construção das casas e apartamentos nas duas cidades. Somente de contrapartida estadual são R$ 20,4 milhões. Os demais recursos são municipais e federais, do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR). Veja mais fotos.

    Fonte: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul 
    Por: Bruno Chaves – Subsecretaria de Comunicação (Subcom)


    Imprimir