Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    01/03/2018

    Estelionatário aplica golpe do envelope vazio, mas é preso ao transferir carro

    Edmar Batista foi preso pela Deco após denúncias anônimas. Ele tentava vender o veículo em uma garagem por R$ 16 mil

    Edmar tem uma longa ficha criminal e passagens por estelionato em vários estados (Foto: Divulgação Deco)
    Um homem de 35 anos foi preso por estelionato ao tentar vender um Volkswagen Gol a uma garagem de veículos em Campo Grande. Segundo a polícia, o suspeito comprou o carro aplicando o golpe do envelope vazio e tentava repassá-lo por R$ 16 mil quando foi flagrado por policiais da Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado).

    A polícia chegou ao suspeito, identificado como Edmar Batista Nogueira do Nascimento, de 35 anos, na terça-feira (27) após denúncias anônimas de que ele tentava vender o veículo de origem ilícita em uma garagem da Capital.

    No local, os investigadores encontraram Edmar realizando os procedimentos cartorários de transferência de um Gol, modelo 2010, ao proprietário da garagem. Ele receberia R$ 16 mil pelo carro e diante do flagrante explicou aos policiais que havia comprado o veículo no dia anterior em Três Lagoas - a 338 quilômetros de Campo Grande.

    Ele detalhou que o negociou o veículo com um idoso de 70 anos, depositou um envelope vazio supostamente com o valor do pagamento, mostrou o comprovante e recebeu o carro. Depois disso, viajou até Campo Grande, procurou a garagem para revender o Gol e fugir com o dinheiro.

    Segundo nota enviada pela Deco, Edmar tem uma longa ficha criminal, justamente por crimes de estelionato, nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia. Em 2013, ele foi preso em Coxim, por aplicar um golpe exatamente igual ao que resultou na prisão nesta semana.

    Na data, ele adquiriu um Volkswagen Gol em Anaurilândia, também aplicando o golpe do envelope falso, e viajou para Coxim para tentar vendê-lo. Edmar chegou a entregar o carro a uma garagem após receber R$ 4 mil e foi preso em flagrante quando embarcava em um ônibus para Rondonópolis, Mato Grosso.

    Fonte: campograndenews
    Por: Geisy Garnes


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS