Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    06/03/2018

    Ao se lançar candidato ao Planalto, Maia marcará afastamento de Temer

    Expectativa é de que presidente da Câmara adote um discurso próprio e pregue renovação da política

    © Marcelo Camargo/Agência Brasil
    O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), começou a planejar viagens e reuniões pelo Brasil, com o propósito de se tornar mais conhecido. Ele lança sua pré-candidatura à presidência da República, nesta quinta-feira (8), durante a convenção do partido.

    A agenda contempla até mesmo a cidade de Catolé do Rocha, na Paraíba, cidade natal do seu pai, César Maia, ex-prefeito do Rio.

    Além disso, de acordo com informações da Folha de S. Paulo, Maia decidiu procurar empresários e outros partidos para dar sustentação à candidatura. As relações com o PP e com o Solidariedade, especialmente, já estão mais firmes.

    O objetivo é fazer com que o presidente da Câmara decole nas pesquisa de intenção de voto, já que até agora só foi lembrado por 1% dos eleitores. Segundo aliados, o prazo para isso ocorrer é até maio, quando planejam que ele alcance pelo 7% da preferência da população.

    Na quinta, a expectativa é de que, aconselhado por entusiastas de sua candidatura, Maia adote um discurso próprio, que pregue renovação da política. Deve defender as reformas, legado do governo de Michel Temer, e até mesmo fazer alguns elogios ao presidente, para não correr o risco de ser considerado oportunista, já que ganhou espaço durante o governo do emedebista.

    Porém, o presidente da Câmara não quer se comprometer com a pauta exclusivamente econômica de Temer. O motivo é simples: manter independência em relação a um governo que tem baixíssimos índices de aprovação, e poder criticá-lo. A palavra de ordem será, portanto, afastamento da gestão atual.

    O deputado deve basear a sua fala em três pontos: combate à violência, recuperação da economia e geração de empregos, e foco nas questões sociais. Sobre este último, uma das propostas a serem apresentadas por Maia é o seguro social familiar, que unifica o Bolsa Família e um conjunto de pequenos programas dispersos em diversas pastas.

    “Existe um deserto conceitual no DEM e no PSDB sobre a questão social no Brasil. Rodrigo quer sair deste deserto”, explica Marcelo Garcia, ex-secretário de Cesar Maia na área e coordenador do programa de governo de Rodrigo em 2012, quando ele disputou a prefeitura da capital fluminense.

    Fonte: NAOM


    Imprimir