Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    05/01/2018

    'Não vamos recuar', diz Marun sobre ministra condenada

    Nova ministra do Trabalho, Cristiane Brasil perdeu duas ações trabalhistas por não assinar carteira de motoristas particulares

    © Valter Campanto/Agência Brasil
    Não há chance de a nova ministra do Trabalho, Cristiane Brasil, perder o cargo recém-assumido por causa das condenações em processos trabalhistas que carrega no "currículo". Quem garante é o ministro Carlos Marun, da Secretaria de Governo.

    "Recuar? Não vamos recuar, não tem alteração. O governo está contente com o fato de ela ter aceitado o desafio, e acho que seria completo absurdo ela ficar inabilitada por responder por um processo trabalhista", disse.

    De acordo com informações do blog da Andréia Sadi, no portal G1, a ministra respondeu a duas ações por não assinar a carteira de dois motoristas particulares. Em uma delas, teve de pagar uma indenização de R$ 60 mil.

    "Seriam milhões de brasileiros que não poderiam assumir um cargo. Não seria lógico. Não existe a mínima possibilidade de recuarmos. Ao contrário, o governo está feliz com ela, a deputada tem cabedal político", considerou Marun. "O fato de ter respondido a uma ação trabalhista, considerando inclusive os aspectos que entendíamos serem arcaicos na legislação trabalhista antes da reforma trabalhista, de maneira alguma a desqualificam para o cargo", completou o ministro.

    Fonte: NAOM


    Imprimir