Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    10/12/2017

    Rixa entre vizinhos termina com pai e filho assassinados

    As vítimas saíam de casa, conforme parentes próximos à família, para abastecer o carro, quando foram surpreendidas pelo vizinho

    © Arquivo pessoal
    Uma desavença antiga entre vizinhos acabou em tragédia, em Brasília. Pai e filho foram mortos a tiros, na noite da última sexta-feira (8), por um homem identificado como Roney Ramalho Sereno, 43 anos, que disparou contra Rafael Macedo de Aguiar, 21 anos, e Anderson Ferreira de Aguiar, 49 anos. O autor do crime foi preso em flagrante. O jovem chegou a ser socorrido, mas morreu horas depois. Os corpos das vítimas serão velados na tarde deste domingo (10), no Cemitério Campo da Esperança.

    De acordo com informações do Correio Braziliense, Anderson era funcionário da Presidência da República. As vítimas saíam de casa, conforme parentes próximos à família, para abastecer o carro, quando foram surpreendidas pelo vizinho, que trabalha como segurança no Ministério Público Federal (MPF) e é membro da Federação Brasiliense de Tiro Esportivo (FBTE. Moradores disseram que escutaram de três a quatro tiros, mas pensavam se tratar de um assalto.

    A discussão entre Anderson e Roney teria começado, desde 2014, por causa da instalação de uma lixeira e uma câmera, que fica virada para a casa das vítimas, além de filmar a varanda delas. Um amigo da família contou à reportagem que, inclusive, Anderson evitava contato com o vizinho. Após o duplo homicídio, policiais, quando acionados, foram à casa de Roney, mas a mulher dele revelou que o marido tinha pulado o muro e fugido.

    Horas depois, ele foi detido em um bar, na área comercial do Condomínio Mini-chácaras do Lago Sul. Na delegacia, ele declarou que só se manifestará perante um juiz. Na casa de Roney, a Polícia Militar encontrou armas e mais de 30 mil munições.

    Fonte: NAOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS