Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    19/10/2017

    CRO vai investigar dentista que assinava atestados de óbitos falsos

    Marco Aurélio Dorsa foi preso por assinar carimbo falso de médico para assinar atestados de morte natural

    Dentista e agente funerário foram presos na noite desta terça-feira (Foto: Marina Pacheco)
    Em nota, o CRO (Conselho Regional de Odontologia) de Mato Grosso do Sul se pronunciou hoje a respeito da conduta de Marco Aurélio Dorsa, 54, dentista preso por falsificar atestados de óbito. Ele, que responderá por exercício ilegal da profissão de médico, poderá também ter o registro profissional cassado.

    Segundo a nota, será aberto um inquérito ético, que levará em conta também o que é discutido pelo inquérito comum, uma vez que o delito não foi feito durante o exercício da odontologia. As investigações do conselho irão penalizar Dorsa pela incompatibilidade da conduta dele em relação à profissão de dentista.

    "Ele não tem competência para atestar a morte de alguém, ele não é legista", afirma o delegado que apurou a denúncia do médico vítima de Dorsa, Hoffman D'ávila. O dentista e o agente funerário Anderson Ferreira de Souza, 35, foram presos depois que um médico, que teve o carimbo falsificado para assinatura desses atestados.

    "A gente está lidando com vida e a dor das famílias, para um dentista irresponsável atestar essa morte", conclui o delegado. Caso o inquérito do CRO atribua a pena para casos mais graves, o dentista poderá perder o registro profissional.

    Fonte: campograndenews
    por: Bruna Kaspary


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS