Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    13/07/2018

    ARTIGO| A Saúde Bucal dos idosos não deve ser esquecida

    Dra. Jacqueline Cássia de Castro*
    Quando se fala sobre a importância da saúde do idoso não podemos esquecer da saúde bucal. Uma boca não saudável pode trazer inúmeras consequências para a saúde do indivíduo. A ausência de dentes, por exemplo, pode levar a insuficiência mastigatória, dificuldade de engolir, desordens de articulação e fala, entre outros. Já a gengivite que é a inflamação na gengiva pode evoluir e em casos graves pode aumentar as chances de infecções, como as infecções pulmonares. 

    A ausência de dentes também pode causar problemas de ordem psicológica, como baixa estima e até depressão, e consequentemente interferir na qualidade de vida do indivíduo. 

    Por causa disso, é imprescindível estar atento à saúde bucal do idoso. Nos casos de ausência de dentes, recursos como próteses podem não apenas melhorar a nutrição e a fala, mas também na melhora da autoimagem e socialização. 

    A higiene bucal deverá começar pela limpeza dos dentes, e deve ser feita sempre após as refeições, utilizando uma técnica correta orientada pelo cirurgião-dentista. Utiliza-se escova dental com cabeça pequena para alcançar todas as áreas da boca e com cerdas macias. A escovação com escova elétrica é uma ótima opção idosos que apresentam maior dificuldade motora e para aqueles totalmente dependentes esta tarefa deve ser realizada por uma pessoa da família ou cuidador. A escovação deve ser feita com pasta dental com flúor e pouca abrasiva para não machucar a gengiva que é mais sensível nos idosos. Também muito importante é o uso do fio dental regularmente. 

    As próteses devem ser removidas da boca para higienizá-las. Poderão ser escovadas com escova dental comum. Não é indicado o uso das próteses ao dormir, para haver descanso das glândulas salivares do palato e evitar que o idoso engasgue. 

    *é geriatra e fundadora do Projeto Cuidar Geriatria Goiânia.


    Imprimir