Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    20/03/2018

    Governo quer liberar até 40% do ensino médio a distância

    Em 2017, o governo aprovou a reforma do ensino médio, que deu a possibilidade ao ensino online

    © iStock
    A possibilidade dos estudantes cursarem o ensino médio à distância parece estar cada vez mais próxima. A proposta do governo Michel Temer (MDB) prevê liberar até 40% da carga horária total do ensino médio para ser realizada a distância. No caso da educação de jovens e adultos, a ideia é permitir que 100% do curso seja fora da escola.

    Em 2017, o governo aprovou a reforma do ensino médio, que deu a possibilidade ao ensino online. Segundo explica a Folha de S. Paulo, a resolução que atualiza as Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino Médio prevê essa regulamentação da carga horária.

    A proposta já foi discutida no CNE (Conselho Nacional de Educação). Cada rede pública ou escola privada será responsável por regulamentar formatos e ferramentas do ensino.

    De acordo com as novas regras, qualquer conteúdo escolar previsto no currículo poderá ser dado a distância. Se aprovado, os alunos poderiam ter dois dias de aulas por semana fora da sala.

    No entando, especialistas avaliam que pode haver precarização do ensino nas redes públicas, que concentram 88% das matrículas da etapa.

    A lei de reforma do ensino médio definiu que 60% da carga horária contemple conteúdos comuns, a partir do que constar na Base Nacional Comum Curricular para a etapa. Para a carga restante, os alunos escolheriam entre cinco opções (se houver oferta): linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas ou ensino técnico. Com as regras em discussão no conselho, toda a área flexível poderia ser feita a distância.

    Segundo destaca a publicação, o aval para até 40% da carga a distância abriria margem também para atender situações de falta de professores.

    Fonte: NAOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS