Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    16/03/2018

    Munição usada para matar vereadora é de lotes vendidos para a PF

    Investigações da Polícia Civil apontam que a munição UZZ-18 é original, o que quer dizer que não foi recarregada

    © Reuters
    A munição usada para matar a vereadora Marielle Franco (PSOL) na última quarta-feira (14) é de lotes vendidos para a Polícia Federal (PF) de Brasília, em 2006. Investigações da Polícia Civil apontam que a munição UZZ-18 é original, o que quer dizer que não foi recarregada.

    De acordo com informações do G1, o resultado foi constatado graças à perícia feita nessa quinta-feira (15). Os lotes foram comercializados pela empresa CBC, no dia 29 de dezembro, com as notas fiscais número 220-821 e 220-822.

    A PF informou que, "além da investigação conduzida pela Polícia Civil pelo crime de homicídio, já foi instaurado inquérito no âmbito da Polícia Federal para apurar a origem das munições e as circunstâncias envolvendo as cápsulas encontradas no local do crime".

    "A Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro e a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro reiteram o seu compromisso de trabalhar em conjunto para a elucidação de todos os fatos envolvendo os homicídios da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Pedro Gomes, ocorrido na noite da última quarta-feira, no Rio de Janeiro", afirma a PF em nota.

    Fonte: NAOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS