Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    06/12/2017

    PMDB define Moka para Senado e fará pesquisas com André e mais 3 nomes

    Sigla quer fazer 3 deputados federais e 8 estaduais

    deputados, Renato Câmara e Paulo Siufi © Divulgação
    Após empossar o ex-governador André Puccinelli como presidente do partido e responsável pelas alianças com vistas à eleição de 2018, o PMDB vai aguardar resultado de pesquisas de intenção de voto antes de definir o candidato ao governo, e aposta, como consenso, na reeleição do senador Waldemir Moka.

    De acordo com o deputado Paulo siufi, um dos principais apoiadores do nome de Puccinelli para disputa da sucessão de Reinaldo Azambua (PSDB), além do ex-governador o partido fará pesquisas, qualitativas e quantitativas, para definir em cima dos resultados com os nomes da senadora Simone Tebet, do deputado Júnior Mochi e do recém filiado Waldeli Rosa, prefeito de Costa Rica.

    “Hoje, o nome mais forte é o André, pelo legado que deixou e as pesquisas indicam isso”, afirmou o deputado estadual Renato Câmara, que preside o diretório do PMDB em Dourados.

    Paulo Siufi revelou que o ex-governador quer visitar os 79 municípios do Estado, para ‘aglutinar’ apoio da população e de outros partidos.

    “Vamos visitar o interior do Estado e como uma forma de correlacionar com antigamente vamos fazer o MSForte3, mas de uma forma simbólica, para que a população entenda que vamos buscar crescimento e desenvolvimento de Mato Grosso do Sul”, pontuou Siufi.

    Consenso

    Segundo os dois peemedebistas, o único consenso na legenda é a candidatura de Waldemir Moka para disputar, de novo, o Senado pelo PMDB. Siufi adiantou que outro potencial candidato pode vir de uma eventual coligação.

    Câmara afirmou ainda que é preciso esperar movimentação no cenário político, bem como possíveis filiações e desfiliações. Ele citou a chegada à legenda dos ex-deputados estaduais Antônio Braga e Antônio Carlos Arroyo, que estão apto a disputarem um cargo na eleição de 2018.

    As definições de candidatos do PMDB só devem acontecer, de fato, no começo de março do próximo ano. “Infelizmente as coisas no país se acontecem depois do Carnaval”, frisou Siufi.

    Além de pleitear reeleição de Moka e garantir a disputa pelo governo, o PMDB pretende eleger dois ou três deputados federais e seis ou oito deputados estaduais.

    Fonte: Midiamax
    Por: Ludyney Moura e Richelieu Pereira


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS