Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    03/12/2017

    Fenômeno da superlua poderá ser observado neste domingo

    © DR
    Se você é daqueles que adora admirar a lua, terá um atrativo ainda maior neste domingo. O céu será iluminado pela única superlua do ano, momento em que o astro aparece no céu até 14% maior e 30% mais brilhante do que o normal.

    O fenômeno, como explica Carlos Alexandre Wuensche, pesquisador da Divisão de Astrofísica do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), ocorre toda a vez que uma lua cheia coincide com a aproximação do astro com a Terra. "Não é algo raro e acontece em média uma vez ao ano", acrescenta ele. O ano passado, no entanto, foi contemplado com três superluas. "O que é mais raro." 

    Neste ano, segundo a Nasa, agência espacial norte-americana, a lua ficará totalmente cheia por volta das 13h47 (horário de Brasília) de domingo, mas o auge do perigeu (momento em que ela estará mais próxima da Terra) será às 6:45 de segunda-feira (4), quando estará a 357.492 km da Terra.

    A distância média do corpo celeste para nosso planeta é de 384.402 km. Em 1948, a Lua e a Terra alcançaram uma distância de 356.462 km, a menor já registrada pelos astrônomos. No ano passado, a distância chegou a 356.511 km, a mais próxima dos últimos 69 anos. A próxima está prevista já para janeiro de 2018. 

    Como fotografar?

    A visibilidade da lua pode variar bastante de acordo com as condições climáticas da região em que o observador estiver. "Em templos nublados, a vista tende a ser prejudicada", alerta Wuensche, que sugere lugares mais distantes da iluminação artificial das grandes cidades, que acabam ofuscando um pouco a beleza das superluas.

    Wuensche também recomenda o uso de binóculos ou câmeras mais potentes que viabilizam a visualização das crateras características da Lua. "É um visual incrível." Além de admirar a paisagem, a superlua favorece ainda boas fotografias.

    Fotógrafos recomendam um equipamento profissional para registrar a superlua, como uma luneta e uma câmera com ajustes manuais e boa lente com zoom ótico. Mas se a única câmera disponível é a do seu smartphone, é possível fazer fotos com boa qualidade. Vai depender, claro, do modelo --a tendência é que quanto mais recente e caro o celular, melhor seja a câmera.

    A recomendação é utilizar todo o zoom da câmera, bem como a resolução máxima permitida, e o timer - para impedir que mesmo o movimento mínimo do seu dedo tocando a tela mexa o celular e borre a foto. Se possível, recorra um tripé ou a um apoio. E para que você consiga visualizar os detalhes, opte por um ISO - medida de sensibilidade de luz-- mais baixo. Vale ainda brincar com as composições e não poupar os cliques.

    Fonte: Uol


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS