Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    01/12/2017

    Dagoberto deixa presidência do PDT e João Leite Shimidt volta ao comando

    Dagoberto durante discurso © Divulgação
    O deputado federal Dagoberto Nogueira deixará a presidência do PDT e João Leite Shimidt, que já comandou a sigla, voltará ao cargo. O parlamentar assumirá a 1ª vice-presidência e o ex-deputado e ex-petista Antônio Carlos Biffi ficará com a 2ª vice-presidência.

    A decisão foi tomada pelos dirigentes do partido, que se reúnem nesta sexta-feira (1º).

    Dagoberto explica que fez acordo com Shimidt para deixar a presidência porque será candidato a reeleição em 2018 e como o partido terá outros nomes na disputa por vagas no Congresso Nacional, estas pessoas poderiam se sentir em desvantagem se o parlamentar ainda tivesse o comando do PDT. “Serei só mais um candidato. Vou continuar fazendo as viagens institucionais e o Shimidt coordena daqui”.

    O deputado federal afirma que a meta do PDT para 2018 é eleger seis deputados estaduais, dois federais, além de conquistar o Governo de Mato Grosso do Sul. Shimidt diz que assumirá o partido em busca de alianças para o próximo ano, embora diga que ainda não é o momento de fechar acordos. “Não é o momento de fechar alianças, mas de conversar com os partidos”.

    Ele afirma ainda que está buscando se atualizar para fortalecer o PDT. “Conheço muito da política convencional, vou ter de aprender da nova política, como falar com a população, usar as redes sociais”.

    Presidente de honra – Odilon de Oliveira foi escolhido presidente de hora do partido, cargo que era ocupado por João Leite Shimidt. “Me sinto feliz de já ocupar o posto de presidente de honra, fui muito bem recebido no PDT”.

    O juiz federal aposentado afirma que quer ajudar na busca por alianças. “O PDT só não pode fazer alianças com corruptos. Mas, corrupto não é aquele que apenas sofreu acusações, mas aquele que têm provas robustas contra ele”, completou.

    Expulsão - De saída da presidência do diretório, Dagoberto destacou que é preciso respeitar todos os tramites no conselho de ética da legenda sobre o pedido de expulsão do deputado estadual George Takimoto.

    O deputado federal disse que o correligionário desrespeitou uma recomendação do partido, e se for expulso o PDT de Mato Grosso do Sul já anunciou que vai requisitar na Justiça seu mandato na Assembleia.




    Por: Anahi Zurutuza e Leonardo Rocha


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS