Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 6 de novembro de 2017

    Universitário que matou advogada no trânsito aguarda soltura em presídio

    O presídio onde ele está fica no complexo penitenciário, na Rua Indianápolis, no Jardim Noroeste 

    João Pedro chegando no Centro de Triagem, onde deve ser liberado assim que chegar o alvará de soltura (Foto: André Bittar)
    O universitário João Pedro da Silva Miranda Jorge, 23 anos, que matou no trânsito a advogada Carolina Albuquerque Machado, 24 anos, e feriu o filho dela de 3 anos e 8 meses, aguarda o alvará de soltura no Centro de Triagem, em Campo Grande. Ele pagou uma fiança de R$ 50,5 mil para conseguir a liberdade. O presídio onde ele está fica no complexo penitenciário, na Rua Indianápolis, no Jardim Noroeste.

    O rapaz chegou à penitenciária às 10h15 em uma viatura da Polícia Civil. Antes, ele foi levado para fazer exame de corpo de delito no Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal). O delegado João Eduardo Davanço, plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, explicou que como o alvará de soltura ainda não havia chegado, o preso foi levado para o Imol e depois para o Centro de Triagem. De lá, ele vai para o Patronado Penitenciário colocar a tornozeleira eletrônica e na sequência ganhar a liberdade ainda nesta manhã.

    João Pedro teve a prisão preventiva decretada pela Justiça na sexta-feira (3). Ele se apresentou à Polícia Civil, na tarde de sábado (4). O rapaz passou o fim de semana em uma das celas da Depac Centro. Na noite de ontem, a juíza Eucelia Moreira Cassal determinou a soltura dele mediante fiança de R$ 50.598,00 e uso de tornozeleira eletrônica. 

    Acidente - O acidente aconteceu por volta da meia-noite e meia de quinta-feira (2), na Avenida Afonso Pena, no Bairro Chácara Cachoeira. Carolina voltava de um encontro com as amigas, quando teve o VW Fox que dirigia atingido pela caminhonete Nissan Frontier, conduzida por João Pedro, que segundo a Polícia de Trânsito, trafegava em torno de 160 km/h. Após a batida, o rapaz fugiu a pé sem prestar socorro. O filho de Carolina, de 3 anos e 8 meses, que seguia na cadeirinha no banco traseiro fraturou a clavícula. A criança recebeu alta no fim da manhã de ontem (5).
    Momento em que João Pedro deixa a delegacia (Foto: André Bittar)


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS