Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    04/11/2017

    Trio é preso após trafegar na contramão de rodovia e causar tumulto

    Carro usado pelo trio para andar na contramão de rodovia (Foto: Paulo Francis)
    Dois homens e uma mulher foram presos em visível estado de embriaguez depois de trafegar na contramão da BR-262 por cerca de 14 quilômetros e causar tumulto na portaria do condomínio Terras do Golf, em Campo Grande. A polícia não informou as identidades dos suspeitos, que estão na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Piratininga.

    O trio ocupava um Fiat Palio e colocou em risco a vida dos motoristas que passavam pela rodovia durante a madrugada. Carros e caminhões tinham que desviar deles, evitando por pouco uma série de acidentes que poderiam ser graves.

    Eles só pararam, segundo a polícia, depois que o motorista começou a brigar com a esposa, que estava no banco do passageiro, tendo sido contido pelo amigo que estava na parte de trás do veículo. Os dois então começaram a brigar.

    A mulher, enquanto isso, desceu do carro e seguiu a pé pelo acostamento. A dupla, ao percerber a ausência, saiu a procura dela e achou que tinha pedido abrigo na guarita do condomínio. Eles então pararam no local e começaram a gritar, ameaçando os guardas e assustando os moradores, que ligaram em peso para o Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança), que atendeu 20 chamadas vindas do local.

    Uma viatura da PM (Polícia Militar) foi encaminhada ao local. Os militares foram desacatados, não conseguiram sozinhos conter os dois homens e chamaram reforço. Durante o tumulto a mulher que estava junto com os suspeitos apareceu no local.

    Somente após a chegada da segunda equipe eles foram presos e levados à delegacia. O trio negou embriaguez e fez teste do bafômetro. Segundo a polícia, o condutor estava tão alterado que mal conseguia soprar no aparelho que mede a quantidade de álcool no sangue.

    Eles serão indiciados por desacato, embriaguez ao volante, perturbação do sossego e o motorista por violência doméstica, por ter batido na esposa.

    Fonte: campograndenews
    Por: Ricardo Campos Jr. e Bruna Kaspary


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS