Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 6 de novembro de 2017

    LÍNGUA PORTUGUESA - Professor Fernando Marques


    Dicas de português 11

    Erronias gramaticais e formas corretas. Exemplos:

    Na linguagem coloquial, há sempre alguém se referindo a CASAS GERMINADAS. Todavia, quando quisermos nos referir a casas dispostas aos pares; duplicadas; gêmeas, deveremos utilizar a expressão “casas geminadas” ou casa gêminas.
    A expressão Casas geminadas foi derivada de gêmeo, do latim geminus, duplo, dobrado, nascido do mesmo parto. Da sequência: trigêmeos e quadrigêmeos. A partir de cinco, há mudança no radical: quíntuplos, sêxtuplos, séptuplos, óctuplos. 
    Casas germinadas – provavelmente, são casas cheias de micróbios, de germes ou àquelas que, conforme a fértil imaginação, podem brotar de semente e fascinar espectadores nos filmes que evidenciam efeitos especiais. Podemos também supor que sejam as casas dos políticos corruptos que guardam as malas contendo o dinheiro furtado dos cofres públicos ou obtido por meio das propinas.
     
    Quando algum locutor, apresentador de telejornal, políticos ou falante despreparado afirma que as chuvas ou o frio CASTIGA uma região, uma cidade ou um Estado, em verdade está dizendo bobagem!
      Castigar (do latim castigare) significa punir; repreender; corrigir; admoestar.
    Para não dizer asneira, evidentemente, é preferível dizer:
    As chuvas inundaram as ruas da minha cidade.
    O frio está intenso no Sul do país.
    O calor causou prejuízos e internações em Cuiabá.
    A seca prejudicou a produção agrícola no Centro-Oeste do Brasil.
    Disse um empolgado repórter: "O frio está castigando Curitiba".  Haja castigo!
    A apresentadora de um famoso programa de notícia de uma importante rede de televisão afirmou:
    “Neste momento, as chuvas castigam Caxias do Sul!”
    Em verdade, castigo é a punição imposta ao telespectador, ao ouvinte ou ao leitor que, deliberadamente, fica à mercê dos repórteres despreparados e que gostam de falar bobagens.
         
    Seguindo o péssimo exemplo das pessoas que utilizam erradamente o verbo castigar, há quem utilize o verbo sofrer    afrontando àqueles conhecem a gramática portuguesa.
    Sofrer (do latim sufferre) significa suportar, tolerar. Portanto, implica bobagem afirmar que alguém sofreu melhora, sofreu recuperação etc.
    Outras asneiras: sofreu adiantamento; sofreu alegria; sofreu alteração, sofreu apoio; sofreu aumento; sofreu benefícios; sofreu crescimento; sofreu cura; sofreu desenvolvimento; sofreu reforma, sofreu redução, sofreu intervenção, sofreu uma pintura; sofreu um conserto; sofreu um ajuste; sofreu uma massagem; sofrer umas férias; sofrer uma alegria, sofrer cassação, sofrer salvação, sofrer atendimento, sofrer uma premiação, sofrer uma alegria, sofrer mudança, sofrer pedido de casamento, sofrer um banho etc.
    Continuação na próxima semana! 


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS