Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    16/11/2017

    Juiz concede liberdade e homem que matou esposa com 10 facadas é solto

    Vítima foi encurralada, perseguida e morta pelo marido em junho

    Genilson estava preso desde junho © Bruno Henrique
    Genilson Silva de Jesus, de 41 anos, acusado de assassinar a esposa, Ramona Regilene Silva de Jesus, 44 anos, com 10 facadas, responderá o processo em liberdade. Juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, concedeu a liberdade provisória nessa segunda-feira (16), após audiência de instrução de julgamento.

    Feminícidio aconteceu no dia 4 de junho deste ano, na residência do casal, que fica no Conjunto Residencial Celina Jallad, no Portal Caiobá. Vítima foi encurralada entre o guarda-roupa, a cama e a parede e foi esfaqueada pelo acusado, que não aceitava o fim do relacionamento.

    Mesmo ferida, Ramona conseguiu sair da residência e seguir até a casa de uma vizinha, mas foi perseguida por Genilson, que continuou desferindo facadas pelo corpo da esposa. Ele fugiu e se apresentou na delegacia dias depois do crime. 

    Na audiência, juiz afirmou que prisão preventiva foi decretada no dia 5 de junho, que o processo tramita até hoje e ainda estão pendentes algumas perícias, sendo necessário reavaliar a prisão cautelar do acusado.

    Conforme o magistrado, os fundamentos que motivaram a prisão não mais subsistem. “O acusado não registra outro processo criminal no SAJ, bem assim, o próprio acórdão em tela admite que o acusado é primário, ostenta profissão certa e endereço determinado”.

    Ainda na decisão, juiz afirma que é pouco provável que acusado possa fugir, já que se apresentou espontaneamente com sua advogada na delegacia.

    Dessa forma, concedeu a liberdade provisória do acusado, sob a condição de que Genilson deve comparecer mensalmente em juízo, até o quinto dia útil de ada mês, para justificar suas atividades.

    Genilson, que estava preso no Centro de Triagem Anizio Lima, já foi posto em liberdade. Testemunhas estão sendo ouvidas pela justiça e data do julgamento ainda não foi marcada.

    CASO

    Após esfaquear a dona de casa Ramona Regilene Silva de Jesus, o comerciante Genilson fugiu em meio a uma mata que fica aos fundos do residencial e tentou se desfazer da faca com 20 centímetros de lâmina. Objeto utilizado no assassinato foi encontrado e apreendido.

    Revoltados, vizinhos do casal incendiaram veículo de Genilson, modelo picape Courier.

    Na delegacia, acusado afirmou que o casal começou a brigar depois de ela descobrir que ele mexeu com travestis na rua e disse ainda não ter tido a intenção de matar a vítima.

    Em uma tentativa de desqualificar a dona de casa, o comerciante afirmou ainda que ela era ciumenta e possessiva. Esta versão foi contrariada pela delegada Fernanda Féliz, que enfatizou que ele não aceitava o fim do relacionamento e era muito ciúmento.

    Ramona e Genilson eram casados desde 2012 e não tinham filhos em comum.

    Fonte: CE
    Por: GLAUCEA VACCARI


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS