Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 14 de novembro de 2017

    Garoto sequestrado domingo na fronteira é resgatado pela polícia

    Garoto foi resgatado e já voltou para os braços da família (Foto: Cândido Figueredo/ABC Color)
    A polícia paraguaia conseguiu estourar o cativeiro onde estava o menino de 11 anos sequestrado na fronteira durante a madrugada de domingo (12). O resgate aconteceu em Pedro Juan Caballero - cidade onde mora a vítima e onde ela foi raptada, vizinha da brasileira Ponta Porã, localizada a 323 km de Campo Grande.

    O garoto sequestrado é filho de um médico veterinário Gabriel Soria, bastante conhecido na fronteira, e neto do engenheiro Agustín Soria. Os sequestradores teriam pedido R$ 500 mil como resgate, informação negada por Agustín.

    O resgate foi feito há pouco, segundo o jornal paraguaio ABC Color, sem realização de pagamento. Um sequestrador também teria sido detido na ação, o que deve ajudar a encontrar os demais integrantes do crime.

    Caso - A pessoas que cuida da casa onde aconteceu o rapto afirmou aos policiais que os bandidos entraram pela porta da cozinha por volta de 4h e foram direto ao quarto onde estava a criança.

    Quando saíram, eles teriam dito que nada iria acontecer ao menino se o resgate fosse pago. Já na segunda-feira (13), a polícia encontrou um carro Chevrolet Corsa com placa brasileira, pertencente à família da criança e que foi usado pelos sequestradores para levar o garoto.

    O veículo estava dentro do terminal de ônibus de Pedro Juan Caballero e Peritos coletaram provas dentro do carro, principalmente impressões digitais para auxiliar a encontrar os bandidos que atuaram nesta ação.

    Outro caso – Esse é o segundo sequestro ocorrido em três meses na fronteira entre Pedro Juan Caballero em Ponta Porã. Em agosto, Pedro Urbieta de Souza, de 12 anos, filho do empresário Alexandre Reichardt de Souza, foi sequestrado por seis pessoas de nacionalidade paraguaia.

    Ele foi libertado horas depois, após ação da polícia brasileira na fronteira. A família não confirmou, mas houve relatos não oficiais de que o resgate pedido foi pago. Os acusados foram presos no dia seguinte.

    Fonte: campograndenews
    Por: Nyelder Rodrigues


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS