Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    23/11/2017

    Garotinho evita banho de sol para não encontrar inimigos políticos

    "Um banho de sol na presença de todas essas pessoas que ele denunciou é um risco de vida”, afirmou o advogado Carlos Azeredo

    © Agência Brasil
    O advogado do casal Garotinho, Carlos Azeredo, disse nesta quinta-feira (23) que seus clientes não participaram do banho de sol na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, zona norte do Rio.

    A unidade abriga, atualmente, três ex-governadores do estado. Além de marido e mulher, Sérgio Cabral, inimigo político deles, também ocupa uma das celas, sem contar com os deputados estaduais Jorge Picciani, Edson Albertassi e Paulo Melo, encaminhados ao local, no início desta semana.

    Rosinha, no entanto, deve ser encaminhada para o presídio feminino Nelson Hungria, em Bangu. Ela só deve passar por Benfica porque o local se tornou porta de entrada para os presos que ingressam no sistema penitenciário fluminense. A prisão também recebe os presos da Lava Jato com nível superior.

    “Eu perguntei se ele encontrou com algum preso da Lava Jato durante o banho de sol e ele falou que não. Mas ele disse que teme pela segurança dele porque está em um corredor sozinho e em uma cela sozinho. É um corredor intermediário e o próximo seria o corredor dos presos da Lava Jato”, disse Carlos Azeredo, conforme o portal G1.

    “Eles não foram ao banho de sol hoje, nem a Rosinha e nem o Garotinho. Ele não têm nenhum privilégio, ele está em uma cela isolada, em um corredor sozinho. Acredito que tenha sido uma opção própria não ter participado do banho de sol. Ele está com medo. Um banho de sol na presença de todas essas pessoas que ele denunciou, ele corre um sério risco de vida”, completou o advogado.

    De acordo com informações de O Globo, a cadeia possui quatro andares. No térreo, não existem celas. A partir do primeiro andar, existem nove delas em cada piso, com capacidade para seis presos em cada.

    No primeiro pavimento ficam os detentos envolvidos com casos de pensão alimentícia e mulheres com curso superior. No segundo estão os presos da Lava Jato já citados, além de Sérgio Cortes, ex-secretário estadual de Saúde, Wilson Carlos e Carlos Miranda, apontados como operadores de Cabral. Já o terceiro andar é destinado à triagem.

    Não há informações sobre como os presos estão divididos nas celas. Elas possuem seis metros quadrados, onde estão três beliches. Há um banheiro, com pia, vaso sanitário e chuveiro. O banho é frio.

    Fonte: NAOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS