Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 9 de novembro de 2017

    Estou esperando a Assembleia me convocar, diz suplente de Kayatt

    Diretor-presidente da Agraer, Enelvo Felini (PSDB), já faz planos

    Enelvo ainda não sabe quem o sucederá na autarquia que atualmente comanda (Foto: Divulgação/Agraer)
    Enelvo Felini, 63 anos, aguarda notificação para trocar o comando da Agraer (Agência gência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) por vaga na Assembleia Legislativa. Suplente do deputado Flávio Kayatt (PSDB), o técnico agrícola assume depois do titular ter aprovada sua indicação para o TCE (Tribunal de Contas do Estado).

    “Não seria verdadeiro se dissesse que não quero ir, mas estou esperando a Assembleia me convocar. Fui eleito pelo trabalho que realizei no sudoeste do Estado. Entrei na última hora para completar o quadro de candidatos na época”, disse Felini ao Campo Grande News.

    Conforme a assessoria de imprensa da Assembleia Legislativa, a transição só começa com o anúncio de renúncia verbal ou por escrito de Flávio Kayatt no plenário. Na sequência, a mesa diretora convoca o primeiro suplente da coligação para que providencia os documentos necessários para que possa tomar posse como deputado.

    Dentre os temas que pretende levar ao parlamento, Fellini destacou o fortalecimento da agricultura familiar para que Mato Grosso do Sul reduza a importação de hortifrutis e frutas cítricas. “Sou um homem do campo”, justificou, ainda sem saber quem o sucederá na Agraer.

    A mudança no comando da autarquia depende do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), tendo a equipe do secretário de produção, Jaime Verruck, indicado possíveis nomes.

    Histórico 

    Nascido em Passo Fundo (RS), Enelvo Felini já foi prefeito de Sidrolândia por dois mandatos, ocupando o posto de 1997 a 2004. Reeleito há cinco anos não pode assumir ao ter o registro de candidatura cassado pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

    Na época, a decisão considerou que ele teria aplicado 58,47% dos recursos do Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério), quando o teto mínimo estabelece percentual de 60%. Mesmo sem mandato, acabou nomeado como secretário de governo da gestão de Ari Basso (PSDB), declarado prefeito depois de eleição complementar.

    Em 2014, Felini lançou-se candidato a deputado estadual e obteve 9.532 votos nas urnas. Com a posse do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), no ano seguinte, recebeu o convite para assumir o comando da Agraer (Agência gência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural). Ele só deixa a autarquia, nesse mês, para assumir mandato no Legislativo com a ida de Flávio Kayatt para o TCE (Tribunal de Contas do Estado).

    Fonte: campograndenews
    por: Kleber Clajus


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS