Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    domingo, 12 de novembro de 2017

    Enem 2017: chutar ou deixar a questão em branco? Qual a melhor estratégia quando a resposta não vem?

    Professores defendem que aluno tente responder as mais fáceis e elimine ao máximo o total de alternativas na 'roleta russa'. Deixar em branco é a pior estratégia.

    Caneta preta de tubo transparente e documento original com foto são obrigatórios no Enem 2017 (Foto: Ardilhes Moreira/G1)
    A primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) começa neste domingo (5) com ciências humanas, linguagens e redação e quem vai fazer sua estreia na avaliação sempre se pergunta: o que fazer quando deu aquele branco e você não sabe a resposta de uma das questões? Chutar ou deixar sem resposta?

    Especialistas ouvidos pelo G1 dizem que o melhor é chutar. Cada prova objetiva tem 45 perguntas de múltipla escolha, são 180 questões por dia, por isso é natural que o aluno não saiba responder uma ou outra.

    O problema do chute, no entanto, é que a metodologia usada pela prova, a Teoria de Resposta ao Item (TRI), consegue detectá-lo quando o aluno erra as questões consideradas fáceis, por exemplo, e acerta as difíceis. E quando não há “coerência pedagógica” a pontuação não tende a ser alta.


    “A coerência pedagógica é a lógica. Não é esperado que o aluno que acerte as difíceis e erre as fáceis, isto é incoerente”, diz o coordenador do Curso Poliedro, Vinicius de Carvalho Haidar.

    A dica de Haidar é evitar chutar as questões fáceis.
    O ideal é ler, ver se consegue responder, se tiver alguma dúvida, marca a questão, pula e depois volta. No final, o aluno deve chutar o que não sabe mesmo.”
    Entretanto, segundo o coordenador, deixar uma resposta em branco é pior do que errar. “Umas questões valem mais do que as outras. Mas errar não vai fazer o candidato perder pontos, só não vai deixar de ganhar.”

    Camila Karino, diretora pedagógica da Geekie, reforça esta tese. Ela lembra que o aluno, ao tentar marcar a alternativa que ele considera mais correta, tem uma possibilidade de acerto. “Ao deixar em branco, a questão será considerada necessariamente como errada.”

    A ressalva do líder de avaliação da Geekie, Claudio Maroja, é que ao chutar a questão, o aluno precisa acertar não só ela, mas também as outras que estão no mesmo nível de proficiência.
    Sendo assim, quanto menos questões o aluno chutar, maior a probabilidade dos chutes realizados - que ele pode até acertar - entrar no valor total da nota do Enem."
    Fonte: G1
    Por Vanessa Fajardo, G1


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS