Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    26/11/2017

    Deputados terão reunirão com servidores amanhã sobre reforma

    Intenção é buscar um acordo sobre a votação que vai ocorrer na terça-feira, na Assembleia

    Deputados irão se reunir amanhã com os servidores (Foto: Victor Chileno/ALMS)
    Os deputados estaduais terão amanhã (27) uma reunião com representantes dos servidores estaduais, na Assembleia Legislativa, para novamente discutir a reforma da previdência. A princípio o encontro será de manhã, por volta das 9h30, na sala da presidência. A intenção é buscar acordo sobre o projeto, que pode ser votado na terça-feira (28).

    O deputado Amarildo Cruz (PT), que tem intermediado o diálogo entre servidores e os demais colegas, confirmou a reunião, que busca tirar a "tensão" da votação do dia seguinte. Os sindicalistas e manifestantes não permitiram que os parlamentares apreciassem a matéria, na última quinta-feira (23), quando invadiram o plenário onde ocorrem as votações.

    O governo estadual já cedeu em algumas partes, como no aumento fracionado da contribuição dos servidores, tendo ampliação de 1% ao ano, até chegar a 14% em 2020. Outra questão que já está nos planos, é retirar deste aumento, os trabalhadores que recebem abaixo do teto do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), que permaneceriam com a alíquota de 11%.

    O impasse no entanto está na unificação dos fundos previdenciários, já que os representantes (categorias) são contra, por entenderem que em alguns meses, os dois fundos estariam deficitários, sendo que hoje existe um (fundo), criado a partir de 2012, com superávit de R$ 400 milhões.

    Já o governo estadual não quer ceder nesta questão, e apresentou a proposta de devolver os recursos usados deste fundo superavitário, em 365 dias, por meio dos imóveis da antiga Previsul, que seriam usados como aporte de recursos. O tema tem gerado divergência entre os lados.

    O presidente da Assembleia, Junior Mochi (PMDB), disse que a intenção é manter a votação para terça-feira (28), e adiantou que não iria requisitar reforço policial, apenas fazer uma organização interna, para garantir segurança aos deputados e às pessoas que forem participar da sessão.

    Fonte: campograndenews
    por: Leonardo Rocha


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS