Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 13 de novembro de 2017

    CCR MSVia informa| Índice ABCR retrai 0,7%

    © Divulgação
    O índice ABCR de atividade referente a outubro apresentou queda de 0,7% na comparação com o mês imediatamente anterior, considerando os dados dessazonalizados. O índice que mede o fluxo pedagiado de veículos nas estradas é produzido pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias – ABCR, em conjunto com a Tendências Consultoria Integrada.

    O fluxo pedagiado de veículos leves recuou 1,0%, enquanto o de pesados também apresentou queda: 1,2% em relação a setembro, na comparação mensal dessazonalizada. “Os resultados negativos de outubro não representam uma tendência de enfraquecimento dos indicadores, mas apenas certa devolução após o crescimento mais expressivo registrado em setembro, quando tanto o índice total (2,2%) como veículos leves (3,3%) e pesados (0,7%) registraram expansão”, explica Alessandra Ribeiro, diretora da Tendências Consultoria. “Na comparação com o mesmo período de 2016, todos os indicadores continuam em elevação. Em relação ao fluxo de pesados, nota-se significativa alta de 7,9% em outubro, o quarto aumento consecutivo”, afirma Alessandra.

    Sobre o fluxo de veículos leves, Alessandra Ribeiro observa que “apesar do resultado negativo na série dessazonalizada, o indicador também sustenta tendência de moderada melhora no ano, perceptível, principalmente, quando comparado a 2016. De janeiro a outubro, o fluxo de leves acumula alta de 2,1%". Ela ainda diz que "em relação às próximas pesquisas, o indicador deve acumular ganhos adicionais, em linha com a perspectiva de continuidade da gradual reação do consumo das famílias".

    Na análise sobre o fluxo de veículos pesados, a economista ressalta que "os últimos resultados convergem com a tendência de gradual reação da atividade industrial, que acumula expansão de 1,6% de janeiro a setembro, segundo a Produção Industrial Mensal (PIM-IBGE). A moderada retomada da atividade industrial e do fluxo de pesados deve se sustentar nos próximos meses, diante do quadro de melhora dos principais indicadores do setor industrial, com destaque para o emprego da indústria, o nível ajustado dos estoques e o ciclo de expansão da confiança do empresário industrial em um quadro de reação da demanda doméstica".

    Fonte: ABCR e Consultoria Tendências



    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS