Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 9 de novembro de 2017

    Antes de matá-la em escola, jovem invadiu a casa da vítima em Goiás

    Outras testemunhas serão ouvidas nesta quinta-feira (9), como familiares, colegas e profissionais da escola onde a jovem estudavam

    © Reprodução
    O jovem Misael Pereira Olair, 19, assassino confesso da estudante Raphaella Noviski, 16 anos, admitiu que chegou a invadir a casa da vítima antes de matá-la. O ato foi fruto da obsessão dele pela estudantes e foi uma das investidas antes de matá-la.

    De acordo com a publicação do site Metrópoles as informações foram repassadas pela delegada Rafaela Azzi, que é a responsável pelo caso.

    “Ele a conheceu em uma lan house. Fez de tudo para se aproximar. Tentou dar um colar a ela, que não aceitou. Entrou na casa dela. A jovem relatou para a família esse fato”, contou a delegada.

    Outras testemunhas serão ouvidas nesta quinta-feira (9), como familiares, colegas e profissionais da escola onde estudavam e onde também Raphaella foi morta, para tentar esclarecer ainda mais o caso.

    A jovem Raphaella foi morta dentro da escola onde estudava, em Alexânia, Goiás. Já Misael, fará avaliações psicológicas e psiquiátricas no Instituto de Criminalística de Goiânia.

    Ainda de acordo com o portal Metrópoles, o rapaz atentou contra a própria vida pelo menos três vezes desde segunda-feira (6), quando foi preso logo após invadir a Escola Estadual 13 de Maio e dar 11 tiros na adolescente.

    O resultado desses exames vai abastecer o inquérito que está sendo feito pela Delegacia de Alexânia. Rafaela Azzi confirmou que espera concluir o caso até 20 de novembro. “Já tenho a minha opinião formada sobre o feminicídio, mas esses laudos vão colaborar com novos materiais para o julgamento do Misael”, disse ao Metrópoles.

    A reportagem apurou que Misael juntou dinheiro para adquirir a arma com a qual efetuou 11 disparos em Raphaella. “Essa questão da arma trouxe novos pontos para a investigação, mas não posso dar maiores detalhes”, despistou a delegada.

    Fonte: NAOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS