Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    10/10/2017

    Sul-mato-grossense de coração, deputado Amarildo Cruz fala dos 40 anos do MS

    © Divulgação/ALMS
    Vivendo em Mato Grosso do Sul há 36 anos, o segundo secretário da Assembleia Legislativa, deputado estadual Amarildo Cruz (PT), natural de Presidente Epitácio (SP), usou a tribuna na manhã desta terça-feira (10) para fazer uma reflexão sobre os 40 anos de criação do Estado, comemorado amanhã, dia 11 de outubro.

    "Mato Grosso do Sul é um dos estados mais jovens da Federação, mas também um dos mais importantes em razão da riqueza que aqui se concentra. É um Estado que faz divisa com Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso, São Paulo e Goiás, além de fazer fronteira com Paraguai e Bolívia, de uma diversidade cultural inigualável, cortado por duas bacias hidrográficas, dos rios Paraguai e Paraná, de relevo favorável para a agricultura e a pecuária, além de abrigar 70% da parte brasileira do bioma único que é o Pantanal", descreveu.

    O deputado lembrou das conquistas ao longo das quatro décadas, mas falou também dos desafios. "Ao longo de todos esses anos, desde a divisão do Estado do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, criou-se muitas expectativas. Muita coisa se concretizou, mas ainda temos muito o que avançar do ponto de vista da gestão pública. Precisamos que o potencial natural do Estado seja explorado de forma sustentável e inteligente pelo poder público e que beneficie cada vez mais a população sul-mato-grossense".

    O parlamentar fez questão de ressaltar que as ações devem contemplar, principalmente, os cidadãos menos favorecidos. "Temos que escrever uma nova história para Mato Grosso do Sul, voltando nossa atenção para os menos favorecidos, e garantindo que todo cidadão que habita esse território seja contemplado com políticas de inclusão, para que vivam dignamente, com acesso à habitação, saúde, educação e alimentação de qualidade", pontuou. "Tenho muito orgulho desse Estado que me acolheu quando o escolhi para construir a minha história e quero continuar contribuindo com esse processo de transformação", concluiu.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS