Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 3 de outubro de 2017

    Senar/MS forma primeira turma de técnicos em Agronegócio da Capital

    Nesse sábado (30), o presidente do Sistema Famasul participou da cerimônia de colação de grau dos formandos

    © Divulgação
    Em uma cerimônia marcada por emoção e otimismo, o Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural e o Sindicato Rural de Campo Grande realizaram a colação de grau da 1ª turma do curso técnico em nível médio em Agronegócio, nesse sábado (30). Ao todo, 18 alunos receberam o certificado de conclusão da capacitação.
    © Divulgação
    O presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito, reforçou a importância do curso para o mercado de trabalho no Agro. “Nosso estado comemora 40 anos e esse período marca muitos avanços consolidados pelo setor. Em 1977 a produção de grãos foi de 470 mil toneladas, quatro décadas depois, saltou para 18,5 milhões toneladas. São números que também falam sobre a empregabilidade no agro. A demanda por mão de obra qualificada é crescente.”, ressaltou Saito.

    De acordo com o presidente, os recém formandos encontrarão no setor uma oportunidade de crescimento pessoal: “Em Campo Grande, 61% da mão de obra empregada no setor é voltada para a pecuária de corte, número muito significativo”, finaliza Mauricio Saito.

    “Um dos grandes legados da nossa vida é a busca pelo conhecimento. Vocês [formandos] vão atender demandas em vários setores, desde a agropecuária, passando por insumos e serviços, até a indústria e o varejo”, reforçou o presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Ruy Fachini Filho.

    Expectativa – O aposentado de 70 anos, Algacir Jesus Martins, relata como foram esses dois anos de estudo. “Apesar da idade, me senti animado e buscava inspiração nos mais novos para se empenhar nas aulas. A metodologia é de muita qualidade”, almeja.

    A contadora Mayara Mendes declara que a facilidade no aprendizado incentiva a novas oportunidades. “Foi um curso completo e dinâmico. A partir de agora penso em dar consultoria, uma vez que conheço as ferramentas que muitos produtores, no seu dia a dia, não utilizam na gestão”, afirma.

    O curso foi inicialmente oferecido em três polos presenciais implantados nos sindicatos rurais dos seguintes municípios: Maracaju, Dourados e Inocência.

    Em razão da procura por interessados em aperfeiçoar os estudos no setor agropecuário, mais três sindicatos rurais aderiram à iniciativa: Campo Grande, Coxim e Aparecida do Taboado. A capacitação é oferecida pelo Senar/MS, em parceria com o Ministério da Educação e Cultura (MEC) e sindicatos rurais, por intermédio da Rede e-Tec de educação e formação profissional à distância.

    Formatura em Dourados - O Senar/MS e o Sindicato Rural de Dourados promoveram, nessa sexta-feira (29), a cerimônia de colação de grau da 2ª turma do curso técnico em Agronegócio.

    Durante o evento, lideranças do setor destacaram a importância da capacitação, em nível médio, para o desenvolvimento profissional, assim como o reflexo para a agropecuária de Mato Grosso do Sul.

    “O Agro está cada vez mais complexo e tecnificado. É um setor que exige qualificação e, com isso, é de fundamental importância a formação profissional. Vocês [formandos] tiveram a oportunidade de passar por um curso inovador, semipresencial, que exige ainda mais a dedicação individual”, destacou o diretor técnico do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Renato Roscoe.

    Sobre o Sistema Famasul – O Sistema Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS) é um conjunto de entidades que dão suporte para o desenvolvimento sustentável do agronegócio e representam os interesses dos produtores rurais de Mato Grosso do Sul. É formado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Fundação Educacional para o Desenvolvimento Rural (Funar), Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja/MS) e pelos sindicatos rurais do Estado.

    O Sistema Famasul é uma das 27 entidades sindicais que integram a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Como representante do homem do campo, põe seu corpo técnico a serviço da competitividade da agropecuária, da segurança jurídica e da valorização do homem do campo. O produtor rural sustenta a cadeia do agronegócio, respondendo diretamente por 17% do PIB sul-mato-grossense.

    Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul 
    Por: Ana Brito e Carla Gavilan 


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS