Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 6 de outubro de 2017

    Para Eduardo Rocha bloqueio de bens da JBS é resultado de trabalho responsável da CPI

    Parlamentar é vice-presidente da comissão

    © Divulgação
    No final da tarde dessa quinta-feira (5), foi divulgado que a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) das Irregularidades Fiscais e Tributárias de Mato Grosso do Sul irá entrar com uma ação a contra a holding J&F, após bloqueio de recursos, deferido pela justiça nesta mesma data. Para o deputado Eduardo Rocha, esta decisão é resultado de trabalho responsável da comissão.

    Segundo Rocha, que é vice-presidente da CPI, sem dúvida, este bloqueio foi uma conquista para o Estado e resultado do bom trabalho do grupo. 

    “Fizemos um trabalho serio da CPI, apurando os fatos da denúncia e verificando os prejuízos que Mato Grosso do Sul possa ter tido. O trabalho foi tão bem embasado que a justiça determinou o bloqueio de 115 milhões da JBS. Fizemos tudo com responsabilidade, que procurava descobrir a verdade dos fatos e se houvesse prejuízo para o Estado, conseguir o ressarcimento”, destacou Rocha.

    O presidente da CPI, parlamentar Paulo Correa, concedeu coletiva de imprensa para informar a do bloqueio e na ação a ser ingressada. O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Junior Mochi também participou da coletiva.

    Na ocasião, Correa explicou que alem do bloqueio junto às unidades do grupo JBS no Estado, com a respectiva transferência do numerário para a conta única de depósito judicial, do Poder Judiciário, também determinou a indisponibilidade de bens e imóveis registrados em nome da empresa. 

    O relatório final da CPI deve ser entregue no dia 27 de outubro, conforme divulgado na última reunião. Após esse prazo, deve ser votado em uma semana, data da última reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS