Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 9 de outubro de 2017

    OPINIÃO | Partidos Políticos – A Latrina da Sociedade Brasileira

    Existem, hoje, 35 partidos políticos no Brasil. Com um adicional de 28, em processo de formação, registro e reconhecimento
    Com a atual crise política, é absolutamente desnecessário afirmar que o cidadão brasileiro perdeu totalmente a esperança nas instituições democráticas nacionais. Para ele, o pouco de credibilidade que elas possuíam desintegrou-se completamente, em virtude do fato de que todos os três poderes – executivo, legislativo e judiciário – encontram-se igualmente corrompidos, e subservientes ao sistema oligárquico que domina o cenário político, e manipula todos os interesses a seu favor de forma quase ditatorial, com uma completa falta de consideração pela justiça e pela vontade da população. Falta de consideração, esta, que manifesta-se com verdadeiro escárnio e desprezo. Em decorrência disso, partidos políticos estão completamente desacreditados. São vistos, e com toda a razão, como parte do problema, e não da solução. Hoje, boa parte dos cidadãos brasileiros vê em uma intervenção militar a única solução plausível para a crise política. 
    Cresce o número de brasileiros que exigem uma intervenção militar para solucionar a atual crise política
    Evidentemente, não há dúvida nenhuma de que partidos políticos são organizações criminosas. Em especial o PT, o PMDB e o PSDB – mas não exclusivamente –, são encarados como a onipotente tríade da nefasta oligarquia governamental da nação, que constantemente está formando sinistros cartéis e depravadas coalizões para defender os seus interesses, arregimentar poder político e se perpetuar no poder. Se para isso tiverem que passar por cima da vontade da população e ignorar todas as suas necessidades, eles o farão, sem problema nenhum. Isso, na cartilha deles, é apenas um detalhe irrelevante. 

    Inadvertidamente, o Brasil hoje atinge um ponto de ruptura, expandido sobre o fato de que a crise política agrava-se de forma tão aguda quanto sintomática. Corruptos não são encarcerados, os processos judiciais ocorrem lentamente, o STF absolve de forma ríspida e inescrupulosa até mesmo políticos comprovadamente envolvidos em atividades ilícitas. Em virtude de tudo isso que está acontecendo, tornou-se óbvio demais o fato de que partidos políticos não passam de uma fachada para toda a sorte de atividades malignas. O cidadão brasileiro não aceitará mais ser passivamente enganado por estas ditatoriais, maledicentes, virulentas e sardônicas organizações criminosas, que tem como objetivo único se perpetuar no poder, enquanto os líderes destas sórdidas e furtivas coalizões fraudulentas fazem o possível e o impossível para enriquecer ilicitamente, de maneira abundante. 

    Uma das formas de encerrar definitivamente esta infindável e ignominiosa farsa promovida pelos partidos políticos, que sob o pretexto de agirem legitimados pela democracia, aproveitam-se desta prerrogativa para assaltarem a população, e apropriarem-se de forma maligna do poder político em prol de interesses egoístas, é exigir a extinção do pluripartidarismo. Na verdade, não precisaríamos de mais do que dois partidos políticos, um de situação, e outro de oposição. O modelo que tínhamos, na época do regime militar. Devemos compreender que partidos políticos são, em sua mais absoluta e profunda essência, organizações criminosas. Quanto mais partidos políticos existirem, mais organizações criminosas estarão em atividade. Estas seitas para nada servem, a não ser promover hostilidade, intrigas, contendas, ira, discórdia e divisões sobre a sociedade. E exploram abertamente todos estes conflitos e desavenças por elas orquestradas deliberadamente, de forma astuta e sagaz, em benefício próprio, sempre da maneira mais conveniente, para assegurarem-se do poder político que tanto almejam monopolizar. 

    Partidos políticos devem ser tratados como a metástase que são. O atual cenário político nacional está tão profundamente desgastado e corroído pela corrupção, em todos os seus setores e esferas de atuação, que trocar de representantes ou partidos não bastaria. Isso não impediria a oligarquia que manipula o sistema a seu favor de continuar existindo, e continuar articulando a favor dos seus interesses. É completamente necessário suplantar este modelo de gestão governamental, e substituí-lo por outro.

    Partidos políticos não tem absolutamente nada a agregar para a população. Todos eles estão profundamente contaminados com ideologias sórdidas e nocivas, e são antros de fanáticos oportunistas, profundamente arrogantes, egocêntricos e ditatoriais, famintos por poder e riquezas. Temos uma obrigação moral de proteger a população de todo o mal que eles, de forma tão agressiva e sistemática, causam à sociedade como um todo. 

    Infelizmente, o Brasil chegou ao fundo do poço. Apenas uma intervenção militar pode nos tirar da atual situação, e desmantelar as criminosas oligarquias políticas que fazem a população de refém. Chegou a hora de despertar, e acabar com as corrosivas e maléficas forças demoníacas que impedem o Brasil de ser um país próspero e desenvolvido. Até quando vamos trabalhar para sustentar perdulários burocratas ociosos e vagabundos, para que fiquem cada dia mais ricos, enquanto a população fica a cada dia mais pobre? 




    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS