Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 18 de outubro de 2017

    Homem que se passava por médico é preso com arma e R$ 3,7 mil falsos

    Israel Menezes já foi preso em 2010 por exercer medicina ilegal na cidade de Santa Fé do Sul, São Paulo

    Equipamentos médicos, documentos supostamente falsificados, cédulas e arma falsificadas, foram apreendidos. (Foto: Receita Federal)
    Israel Souza de Menezes, 42, foi preso ontem (17), com simulacro de arma de fogo e R$3.750,00 em cédulas falsas, em Corumbá, distante 419 km de Campo Grande. Na mala dele, também foram encontrados documentos falsos como carteira de identidade, carteira da OAB, carteira de CRM (Conselho Regional de Medicina) e um diploma de curso de medicina de São Paulo.

    A prisão aconteceu pela manhã, em fiscalização de rotina no Posto Esdras, em ação da Receita Federal com o apoio da Polícia Militar. O falso médico estava em um ônibus coletivo e após revista na mala dele, além dos documentos, dinheiro e arma, os fiscais encontraram equipamentos médicos.

    Em consultas realizadas, foi constatado que Israel já havia sido preso por duas vezes. Uma delas foi por estelionato e outra por falsidade ideológica, quando exercia medicina ilegal.

    Israel foi encaminhado para a Polícia Federal e está preso até o presente momento. Ele estava acompanhado de outro rapaz, que portava um simulacro de arma de fogo.

    Pronto Socorro - Em 10 de dezembro de 2010, conforme matéria do site Diário da Região de São José do Rio Preto, Israel foi preso em flagrante por atuar como falso médico na Santa Casa de Santa Fé do Sul.

    Ele tinha sido contratado em outubro daquele ano, por um consórcio de municípios que administrava o hospital na época. Ele mesmo contatou a Santa Casa se oferecendo para trabalhar como clínico geral no pronto-socorro. Para isso, apresentou cópias falsificadas da carteira de identidade, do diploma e do registro no Conselho Regional de Medicina (Cremesp) com dados de um médico verdadeiro, o ortopedista da USP Ricardo Moreira Palma. 
    Carteira do Conselho de Medicina estava entre os documentos
    (Foto: Receita Federal)

    Diploma também pode ser falso. (Foto: Receita Federal)
    Fonte: campograndenews
    por: Renata Volpe Haddad


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS