Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 4 de outubro de 2017

    Em defesa contra denúncia, Temer chama Janot de 'imoral e indecente'

    Afirmações constam em documento entregue à CCJ nesta quarta-feira

    © Rodolfo Buhrer/Reuters
    Em documento entregue à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) nesta quarta-feira (4), no qual se defende da segunda denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República, o presidente Michel Temer elevou o tom ao mencionar a atuação do ex-procurador Rodrigo Janot.

    "A obsessão de Rodrigo Janot, seu mal agir, foi antiético, imoral, indecente e ilegal! Em busca do alvo estabelecido, praticaram-se inúmeras ilegalidades, inclusive crimes; feriram-se preceitos morais e éticos; rasgaram-se normas de conduta social, tudo sob o pálio do combate ao crime, o qual estaria inoculado no seio dessa E. Casa de Leis", diz o documento subscrito pelos advogados Eduardo Pizarro Carnelós e Roberto Soares Garcia.

    "Infelizmente, o dr. Rodrigo Janot Monteiro de Barros abusou de sua independência funcional, extrapolou suas funções institucionais, revelando a mais absoluta e inadmissível parcialidade contra o defendente (Temer)."

    Fonte: NAOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS