Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    05/10/2017

    Comerciante de bairro chique é levado para Delegacia após flagra de 'gato'

    Ação é realizada no Carandá Bosque

    © Cleber Gellio
    ​Um homem, que não teve a identidade divulgada, foi encaminhado para a 3ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande, nesta quinta-feira (5), para prestar esclarecimentos depois que equipes da Energisa flagraram irregularidades na distribuição de energia no comércio e na residência da família, no Bairro Carandá Bosque, região nobre da Capital.

    Conforme o delegado titular, Geraldo Marim Barbosa, o homem deve prestar depoimento e uma investigação será instaurada. A pena para o furto de energia é de um a quatro anos de detenção. Em casos de ligações clandestinas diretas, a sanção é maior, de dois a oito anos de reclusão.

    O flagra foi registrado durante ação de combate ao fraude na distribuição de energia elétrica, realizada em parceria entre Energisa e Polícia Civil. Comércios e residências suspeitas foram mapeados por meio de denúncias e pelo Sistema de Inteligência da concessionária que detecta as fraudes.
    Irregularidades foram encontradas em galeria da Rua Vitório Zeola
    Irregularidades também foram confirmadas em uma galeria comercial na Rua Vitório Zeola. No local as equipes encontraram apenas um padrão e ainda não identificaram o responsável pela fraude na distribuição de energia elétrica.

    A ação que conta 25 equipes da Energisa, 55 técnicos da empresa e agentes e delegado 3ª Delegacia de Polícia Civil da Capital, começou no início da manhã. A quantidade de residências e estabelecimentos a serem vistoriados não foi divulgada.

    Ercílio Diniz Flores, gerente de combate à perda da Energisa, explica que o objetivo da ação é reduzir os custos de energia elétrica ao consumidor. "Atualmente embutimos 4% na conta de energia elétrica por conta das fraudes. Esse aumento já chegou a 7% e reduzimos. Esperamos reduzir mais. Quanto mais fraudes, maior a conta da população", observa.
    Ação conta com 24 equipes da Energisa, além da Polícia Civil
    Segundo o gerente de combate à perda da Energisa, até o fim do ano a concessionária realizará 120 mil fiscalizações em todo o Estado, uma média de 10 mil por mês.

    Flores afirma que a estimativa é de que 24 mil irregularidades sejam detectadas, o que equivale ao abastecimento de Dourados, a segundo maior cidade do Estado.

    Fonte: Midiamax
    Por: Aline Machado e Wendy Tonhati


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS