Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 4 de outubro de 2017

    Bolsonaro pode se filiar à sigla citada no mensalão

    Militar teve diversos confrontos internos dentro do seu partido, o PSC: por isso, foi liberado para procurar nova filiação sem perder o mandato

    © Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil
    Ainda sem endereço partidário definido, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) cogita se filiar a uma sigla de partido citado no mensalão, o Muda Brasil, ao invés de se juntar a um partido "ficha limpa", porém "nanico", o PEN.

    Vice-líder na corrida pela Presidência da República (segundo pesquisa do Datafolha, com 16% das intenções de voto), o militar teve diversos confrontos internos dentro do seu partido, o PSC. Por isso, desde o dia 9 de agosto está liberado para procurar uma nova filiação, sem a consequente perda do mandato.

    Segundo informações da coluna Poder da Folha de São Paulo, não está descartada a filiação do político ao Muda Brasil, um partido que tem as digitais do ex-deputado condenado no mensalão Valdemar da Costa Neto. Por sugestões de aliados, o pré candidato a presidente não se filiou ao PEN (Partido Ecológico Nacional), rebatizado de "Patriota". Preferiu esperar, ainda, pela possibilidade do Supremo Tribunal Federal autorizar o lançamento de candidaturas avulsas, sem filiação partidária, proposta que deve entrar em pauta a partir desta quarta-feira (4).

    As negociações teriam avançado bastante com o PEN. Porém, os colaboradores do militar insistiram para que ele aguardasse o registro do Muda Brasil, que na expectativa de uma aliança formal com o PR garantiria pelo menos dois minutos no horário eleitoral.

    Tal adiamento teria incomodado o presidente do PEN, Adilson Barroso, que tentou acolher todas as condições impostas por Bolsonaro para que ele ingressasse ao partido. O presidente colocou em questão a viabilidade de candidaturas avulsas e considerou uma aposta errada a hipótese de filiação do pré-candidato ao Muda Brasil.

    "Ninguém quer se filiar a quem anda de tornozeleira", teria declarado Adilson Barroso, em referência à condenação de Costa Neto, do Muda Brasil, no processo do mensalão.

    Ainda segundo aliados de Bolsonaro, o senador Magno Malta (PR-ES) foi um dos contribuíram para evitar a filiação apressada de Bolsonaro ao PEN. O senador é apontado como um possível vice da chapa do pré-candidato.

    Fonte: NAOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS