Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 19 de setembro de 2017

    TRÊS LAGOAS| Mães do Cras Vilo Piloto recebem orientações sobre dengue

    Palestra do Setor de Promoção de Saúde ensinou a identificar e eliminar focos criadouros do mosquito aedes aegypti

    © Divulgação
    A Diretoria de Vigilância e Saneamento da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, por meio da coordenação do Setor de Promoção da Saúde, proferiu palestra às mães da Vila Piloto, na manhã desta terça-feira (19).

    A palestra, com o apoio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS), foi proferida pelo coordenador de Promoção de Saúde, Waldir José de Souza, às mães do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) “Colo de Mãe” do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS Vila Piloto.
    © Divulgação
    As mães tiveram oportunidade de conhecer o trabalho que é desenvolvido diariamente pelas equipes de Agentes de Endemias e dos Agentes Comunitários de Saúde, com o “objetivo de orientar as famílias, de casa em casa, a estarem atentas ao surgimento de criadouros de mosquitos, transmissores da Dengue e outras doenças”, informou Waldir.

    Além de mostrar às mães como identificar o mosquito Aedes Aegypti, como ele prolifera e os perigos que pode causar à saúde das pessoas, o coordenador de Promoção da Saúde também orientou as mães “a procurarem eliminar todo e qualquer foco criadouro de mosquitos em suas casas”, ressaltou.

    © Divulgação
    “Além dos quintais sempre limpos, as famílias têm que estar atentas ao interior de suas casas, evitando conservar utensílios, vasilhas ou garrafas e tampinhas de garrafas que podem armazenar água. Tudo isso é muito perigosos, porque é favorável à proliferação do mosquito da Dengue”, alertou Waldir.

    O coordenador do Setor de Promoção da Saúde aproveitou também a oportunidade de alertar as famílias sobre a Leishmaniose e os perigos dos quintais sujos de folhas e outros materiais orgânicos em decomposição.

    “Está voltando o período das chuvas e das frutas, especialmente da manga. Quintais sujos de folhas e frutas caídas no chão e em decomposição são ambientes propícios para o surgimento de focos do mosquito flebótomo, também conhecido por mosquito palha, que é o vetor da leishmaniose”, explicou. 

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS