Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 14 de setembro de 2017

    Polícia apreende quadro de artista no Marco após denúncia de deputados

    Boletim contra o museu foi registrado nesta quinta

    Quadro que foi removido, intitulado 'Pedofilia' © Guilherme Cavalcante
    Um dos quadros da exposição 'Cadafalso', da artista Alessandra Cunha, acaba de ser removido do Marco (Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul), onde estava em mostra desde junho. A obra 'Pedofilia', segundo a própria artista afirmou à reportagem do Midiamax, retrata o acuamento vivido por crianças em uma sociedade machista. No entanto, deputados da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul entenderam que a obra artística faz uma incitação à pedofilia, e registraram nesta quinta-feira (14), um boletim de ocorrência.

    Paulo Siufi (PMDB), Herculano Borges (SD) e Coronel David (PSC), solicitaram a retirada imediata de um dos quadros da mostra, que seria concluída neste domingo (17).

    O museu entendeu como censura, e apenas aumentou a classificação indicativa da exposição de 12 para 18 anos. Porém, mesmo assim, o quadro foi levado para investigação. Ao Jornal Midiamax o delegado Fábio Sampaio disse que, em princípio, viu a necessidade da retirada de apenas um quadro. “Ele foi retirado preliminarmente para apurar o fato de apologia ao crime”, afirmou.

    Segundo Lúcia Monte Serrat, diretora do Marco, será aguardado o desenrolar da questão, mas claramente é vista pelo museu como "censura" e "falta de interpretação de texto". "Amanhã iremos lá para dar depoimento e caberá ao juiz decidir o que fazer com o quadro. Para mim é censura, um moralismo absurdo. Qualquer pessoa que veja a exposição entende que é uma denúncia e não apologia. Estamos sem palavras", definiu.

    "Queremos que a exposição acabe imediatamente, pois é altamente ofensiva quando invade a privacidade e diretamente as crianças", apontou Coronel Davi. Questionados pela reportagem se a obra não seria, na verdade, uma possível crítica à violência de gênero, os deputados rebateram. "Que debata isso dentro da casa dela", disse Coronel Davi, que manifestou desejo de que a artista integre o 'cadastro estadual de pedófilos'.

    Fonte: Midiamax
    Por: Daiane Libero e Danielle Valentim


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS