Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 29 de setembro de 2017

    CPI das Irregularidades Fiscais e Tributárias do MS

    © Divulgação
    Na reunião da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) realizada na última quarta-feira (27/09) eram esperados os depoimentos de três produtores rurais convocados, dos quais apenas o Deputado Estadual Zé Teixeira (DEM) compareceu. Nelson Cintra e Zelito Ribeiro não compareceram às oitivas, mas justificaram suas ausências aos membros da CPI.

    O trabalho que vem sendo realizado pela Comissão nesses 67 dias já analisou mais de cem mil notas fiscais (Tares). Um recorde que prevê em mais 30 dias concluir os trabalhos com o relatório final para ser votado, de acordo com o relator da Comissão, Deputado Flávio Kayatt.

    Tares - São os Termos de Ajustamento de Regime Especial que a empresa JBS firmou com o Governo do Estado, bem como os aditivos, notas fiscais e detalhamentos sobre os incentivos fiscais concedidos.

    CPI - A CPI foi constituída para investigar a denúncia realizada pelos executivos da JBS, Joesley Mendonça Batista, Wesley Mendonça Batista e Ricardo Saud, do pagamento de diversas notas fiscais ‘frias’ emitidas por pessoas físicas ou jurídicas entre os anos de 2010 a 2017, sem o devido fornecimento de bens ou serviços, em contraprestação à suposta concessão indevida de benefícios fiscais pelo Estado de Mato Grosso do Sul.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS