Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sábado, 30 de setembro de 2017

    Contra 'cura gay', grupos LGBT fazem passeata na Afonso Pena

    Justiça do DF permitiu tratar homossexualidade como doença

    © Divulgação
    Integrantes e simpatizantes de movimentos LGBTS (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) realizaram na tarde deste sábado (30), em Campo Grande, uma marcha contra a decisão da Justiça do Distrito Federal que permite tratar a homossexualidade como doença. Os participantes percorreram um trecho da Avenida Afonso Pena.

    Em entrevista ao Jornal Midiamax no último dia 19, uma das organizadoras, a promotora de eventos Sarah Rezende, explicou que a mobilização pretende garantir que as próximas gerações que estão por vir não passem pela tortura psicológica que é ter sua sexualidade tratada como doença. “Tenho amigos homossexuais e vejo o que eles passam em casa, nas ruas, e acontecer isso é um absurdo, piora o preconceito”, protestou.

    © Divulgação
    Diversas cidades brasileiras aderiram ao ato contrário a decisão e reunião um grande público. Para a Capital a expectativa era de 1 mil pessoas comparecessem a Praça do Rádio, concentração da marcha.

    A decisão, do juiz Waldemar Cláudio de Carvalho atende parcialmente ao pedido da psicóloga Rozangela Alves Justino em processo aberto contra o Conselho Federal de Psicologia, que aplicou uma censura à profissional por oferecer a terapia aos seus pacientes. Esse tipo de tratamento é proibido desde 1999 por uma resolução do Conselho Federal de Psicologia. O órgão disse que vai recorrer.

    Fonte: Midiamax
    Por: Anny Malagolini


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS