Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    domingo, 17 de setembro de 2017

    Atirador chama vítima onde amigos assistiam a filme e executa uma pessoa

    Crime aconteceu na manhã de hoje na Capital e Batalhão de Choque faz buscas

    © Divulgação
    Um homem morreu vítima de um tiro na Rua Guaimbé, no bairro Jardim Aeroporto, em Campo Grande, na manhã de hoje, por volta das 9h30. Os Bombeiros foram um dos primeiros a serem acionados, mas quando chegaram ao local a vítima tinha ido a óbito. O Samu também prestou atendimento

    Policiais militares do Batalhão de Choque deslocaram-se para o local do assassinato para tentar prender o suspeito da execução, um adolescente de 17 anos.

    A vítima assistia a um filme com um casal e um homem e o atirador apareceu na residência e fez um disparo pela janela, que atingiu Lessandro Alves da Cunha, 22 anos, na clavícula.

    O adolescente suspeito da execução já conhcia Lessandro e ambos tinham rixa antiga, segundo testemunhas relataram à reportagem. O atirador chamou pela vítima no quintal e colocou a arma na janela. Quando Lessandro levantou-se, foi atingido pelo tiro.

    O adolescente, que estaria com uma garrucha calibre .22, fugiu de bicicleta, conforme mencionado a policiais militares. Equipe do Batalhão de Choque faz buscas para tentar localizar o suspeito, que vive nas imediações de onde foi o crime.

    Na casa onde houve o assassinato, mora um casal e um segundo homem e todos são amigos tanto de Lessandro como do adolescente, que inclusive tem relação de parentesco com a mulher que vive no local.

    Ainda ontem, o suspeito do tiro estava na residência e Lessandro passou por lá, mas não ficou justamente porque ambos chegaram a ter um início de discussão.

    Uma testemunha mencionou à reportagem que o adolescente estava mostrando uma garrucha calibre .22 para conhecidos e dizia que estava andando armado porque quando encontrasse Lessandro, iria matá-lo.

    HISTÓRICO

    A vítima tinha passagens por roubo, furto, tráfico e receptação e cumpria pena no regime aberto. Lessandro e o adolescente que é o principal suspeito do assassinato sempre brigavam e cada um deles trocavam ameaças de morte.

    Ninguém soube informar o motivo que ambos não se conversavam. "Sempre os dois trocavam ameaças entre si. Um fala que ia pegar o outro", comentou uma testemunha, que conversou com a reportagem, mas preferiu não se identificar.


    Fonte: CE
    Por: RODOLFO CÉSAR E RENAN NUCCI
    *Colaborou: Álvaro Rezende.


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS