Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 3 de agosto de 2017

    Vereadores mantêm três vetos do Executivo na sessão ordinária desta quinta-feira

    © Izaias Medeiros
    Os vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande mantiveram dois Vetos Totais e um Veto Parcial do Poder Executivo Municipal a Projetos de Lei na sessão ordinária desta quinta-feira (3). Todos em única discussão e votação.

    Em Plenário foi mantido o Veto Total ao Projeto de Lei n. 8.438/17, de autoria do vereador André Salineiro, que autoriza o Poder Executivo a criar o Conselho Municipal de Segurança Pública - COMSEP. 

    Também em turno único de discussão foi mantido o Veto Total ao Projeto de Lei n. 8.439/17, de autoria dos vereadores André Salineiro e Delegado Wellington, que autoriza o Poder Executivo a criar o "Fundo Municipal de Segurança Pública - FUMSEP". 

    E, por fim, foi mantido o Veto Parcial ao Projeto de Lei n° 8.480/17, que institui o Projeto "Domingo em família na Afonso Pena", em Campo Grande. A proposta é de autoria dos vereadores Otávio Trad, André Salineiro, Odilon de Oliveira, Ademir Santana, Betinho, Prof. João Rocha, Junior Longo e William Maksoud 

    Após a manutenção dos Vetos do Executivo Municipal aos Projetos de Lei, o vereador Prof° João Rocha, presidente da Casa de Leis comentou: "quero ratificar definitivamente que aqueles que entendem e têm interesse que os Poderes Legislativo e Executivo não se entendam, não vão lograr êxito, acabamos de dar uma demonstração de harmonia e companheirismo, entendendo que é desta maneira que nós iremos fazer Campo Grande voltar a crescer, claro, que podemos ter pontos de vistas divergentes, mas resolveremos através do diálogo e entendimento entre os vereadores e o prefeito. Nós não vamos abrir mão dessa linha de conduta, que é pelo entendimento dos poderes pelo bem da cidade, evidentemente, se houver situações em que a Câmara se posicionar divergente daquilo que o prefeito pensa, nós votaremos contrários, nós não vamos perder nossa autonomia, mas em momento algum vamos deixar de buscar a harmonia entre os poderes”, declarou.


    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS