Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 3 de agosto de 2017

    Traficantes são presos com mais de 1 tonelada de maconha na Gameleira

    Eles negam crime, mas mensagem em App 'entrega' envolvimento

    Suspeitos e entorpecentes foram levados para a Denar © Valdenir Rezende
    Emerson da Silva Rocha, de 32 anos, e Luiz Júnior Garcia da Silva, de 28, foram presos por envolvimento em tráfico de drogas na madrugada de terça para quarta-feira (1 e 2), na MS-455, conhecida como estrada da Gameleira, em Campo Grande. Polícia apreendeu 1,151 tonelada de maconha.

    Conforme o delegado titular da Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar), Rodrigo Yassaka, apreensão aconteceu depois ação conjunta com polícias do Paraná e do Mato Grosso do Sul.

    A Denarc de Maringá (PR), seguia investigando suspeitos de estarem envolvidos com associação criminosa que estaria transportando drogas na região de fronteira em MS e carga passaria por Campo Grande, tendo como destino Goiás.

    Com apoio da Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron), Departamento de Operações de Fronteira (DOF), Grupamento Especializado com o Apoio de Motocicletas (Gecam) e Batalhão de Operações Especiais (BOPE), grupo também passou a ser monitorado em MS.

    “Diante disso, foi montado barreiras para monitorar as rodovias, e acabou chegando a informação de que a um veículo Strada estaria chegando em Campo Grande através da estrada da Cameleira, onde teria quebrado e estava escondida em um milharal”, disse Yassaka.

    Outros dois carros, um Toyota Corola e VW Gol estariam acompanhando a pickup, onde ambos os carros atuavam como batedores. Os policiais identificaram o local exato onde o utilitário estava, momento em que o Gol se aproximou na estrada, deu 'meia volta' e fugiu; Corola seguia logo atrás e fez o mesmo.

    Durante a perseguição, motorista do Corola perdeu o controle do automóvel e capotou, e três suspeitos que estavam a bordo fugiram pelo matagal. Coordenadoria Geral de Policiamento Aéreo (CGPA) prestou apoio para localizar os fugitivos, mas eles não foram encontrados.

    Luiz e Emerson foram presos em barreira policial quando chegavam na Capital. Corola, Gol e Strada, além dos 1.278 tabletes da droga, foram levados para a sede da Denar na Capital. Carro em que droga estava sendo transportada tem registro de furto.

    MENSAGEM EM APLICATIVO

    Ao ser preso, Emerson pediu na delegacia para comunicar a esposa que havia sido preso, um direito do custodiado, relatou delegado.

    Em específico, preso disse para avisá-la através do celular, pelo aplicativo de mensagens WhatsApp. Quando o aparelho do suspeito foi pego para enviar a informação à mulher de Emerson, foi identificado mensagens dos comparsas pedindo ajuda para resgatar a droga que estava no veículo Strada, quebrado. Mesmo diante da prova, ele negou envolvimento.

    “Muito embora neguem a participação no evento criminoso, as provas são contundentes sobre a participação deles no trafico de drogas”, afirmou Yassaka.

    Fonte: CE
    Por: MARIANE CHIANEZI


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS