Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 18 de agosto de 2017

    Solenidade comemora 100 anos de Santa Casa com homenagens

    © Divulgação
    Nesta sexta-feira (18), a ABCG-Santa Casa de Campo Grande completa 100 anos de história e a data festiva foi comemorada na manhã de hoje (18) com uma solenidade em alusão ao centenário da instituição. Participaram do evento senadores, deputados federais e estaduais, diretores e funcionários do hospital além de algumas pessoas cujo destaque fez diferença ao longa desta história, contribuindo para a manutenção e o fortalecimento da Santa Casa de Campo Grande.

    A história da Santa Casa se conta por etapas e pessoas marcantes, entre elas, a contribuição do Dr. Arthur D’Ávila Filho. Sua visão de futuro como presidente levaria à construção de um grandioso prédio de 48 mil metros quadrados que até hoje atende à demanda regional. Antes disto, passa por personalidades emblemáticas da história de nossa Capital e Estado como Eduardo Santos Pereira, Bernardo Franco Baís, Naim Dibo, carroceiro Zé Bonito e tantos outros.

    Para dar as boas-vindas aos presentes e falar em nome do conselho de administração do hospital, o presidente da Santa Casa, Dr. Esacheu Nascimento, falou dos 100 anos de solidariedade da instituição com a população de Campo Grande e Mato Grosso do Sul. “Celebramos hoje os 100 anos de uma reunião ocorrida no dia 18 de agosto de 1917, quando um grupo de campo-grandense se reuniram sob a liderança de Eduardo Santos Pereira e Bernardo Franco Baís e decidiram pela criação da Sociedade Beneficente de Campo Grande. Expressamos hoje a nossa gratidão a quantas pessoas e famílias, que nesses 100 anos, contribuíram das mais diferentes formas para manter em pé esta instituição de saúde. Estamos implementando a recuperação física do patrimônio predial e tecnológico do nosso hospital. Estamos implementando uma nova gestão baseada em princípios corporativos, investindo em nossos recursos humanos, com a visão voltada para a assistência e cuidados aos nossos pacientes, de forma digna e humanizada, além de recuperar o bom nome da instituição. Viva a Santa Casa”.

    Na sequência, foram homenageados com a medalha do centenário aqueles que ao longo da história da Santa Casa contribuíram de maneira destacada para o fortalecimento da instituição. O presidente homenageou os familiares dos fundadores: Bernardo Franco Baís, recebeu homenagem o bisneto, Marcelo Martins, Eduardo Santos Pereira por seu neto Valdir dos Santos Pereira Filho e Camilo Boni, pelo filho Carlos Camilo Boni.

    Em seguida, o presidente junto com os membros da diretoria executiva e conselho administrativo homenagearam com a medalha do centenário e um certificado de agradecimento o governador do Estado de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, representado pelo secretário de Estado de governo e gestão estratégica, Eduardo Ridel, o ex-governador do Estado de Mato Grosso do Sul, Wilson Barbosa Martins, sendo representado pela filha, Thaís Echeverrya, o senador Waldemir Moka, a senadora Simone Tebet, o senador Pedro Chaves, o ex-senador Valter Pereira de Oliveira, o deputado federal do estado do Rio Grande do Sul, Darcísio Perondi, o deputado federal, Luiz Henrique Mandetta, o excelentíssimo bispo Dom Vitório Pavanello que representou o arcebispo metropolitano de Campo Grande, Dom Dimas Lara Barbosa, o deputado estadual, Júnior Mochi, o deputado estadual, Felipe Orro, o procurador geral de justiça de Mato Grosso do Sul, Paulo Cézar dos Passos, o secretário de Estado de saúde de MS, Nelson Barbosa Tavares, o presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª região, desembargador João de Deus Gomes de Souza, o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, o vereador Loester Nunes, representando o presidente da Câmara Municipal, vereador João Batista Rocha, o secretário municipal de saúde, Marcelo Luiz Brandão Vilella, a chefe de divisão de convênios do Ministério da Saúde, Silvia Raquel Bambokian, representada pela sra. Josefina Rosana Cainar, o presidente da Confederação Brasileira das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, Edson Rogatti, diretor geral da Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas, José Luís Spigolon, o general José Luís Dias Freitas, comandante do Comando Militar do Oeste representado pelo Coronel Goya , comandante aviador da 5ª ala, o coronel Daniel Cavalcanti de Mendonça, o comandante geral do Corpo de Bombeiros e coronel Elsi Ricardo de Lima.

    Além destes, receberam homenagens os ex-presidentes do hospital, senhor Athayde Nery de Freitas, Renato Alves Ribeiro representado pela senhora Renata Alves Ribeiro, David Balaniuc (in memoriam) representado por Mirian Balaniuc, Walter Rodrigues (in memoriam) representado por Rosemary Rodrigues, Clovis Rodrigues Barbosa (in memoriam) representado por Manoeli Araújo D’ámato, Sinval Martins de Araújo, Elias Gazal Dib, Wilson Teslenco e Juvêncio César da Fonseca representado por Sueli Brandão, Alarico Reis D’ávila, Jairo Faracco, representado por sua esposa Anézia Faracco e Wilson Marques Barbosa, que foi contador da Santa Casa por mais de 20 anos.

    Para homenagear seus funcionários, o presidente entregou a homenagem para a dona Joana Ávilla Correa. Dona Joaninha, como é conhecida, trabalha há 43 anos na Santa Casa e já passou por diversos setores do hospital como almoxarifado, compras e gráfica.

    A maçonaria esteve presente desde a fundação da Santa Casa, pois a grande maioria dos fundadores eram maçons. Por conta disto, o vice-presidente, Heitor Freire, entregou a homenagem aos grãos-mestres da maçonaria senhores Sebastião Nogueira Faria, Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica, senhor Amilcar Siolva Júnior, Grão-Mestre do Grande Oriente de Mato Grosso do Sul e o senhor Benillo Alegretti, Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil.

    Os membros do conselho de administração entregaram homenagens para o presidente da OAB, Mansour Elias Karmouche, André Costa, filho de arquiteto Celso Costa, Silvano Cola, mestre de obras que comandou toda a construção do prédio, Carlos Henrique dos Santos Pereira, Carmelino de Arruda Rezende, advogado da ABCG, José Antônio Ferreira, representante regional da Sherwin Williams do Brasil que doou quatro toneladas de tintas para a pintura da Santa Casa, Gisele Zahran, representando Ueze Elias Zahran, Jaime Valler, diretor do Jornal O Estado MS, Salvador Sandim, diretor geral do SBT MS, Vereador Cazuza, representando Ivan Paes Barbosa, diretor da TV Record em MS, Luis Carlos Feitosa, diretor do grupo A Crítica, Carlos Longo de Faria, diretor do grupo Capital MS de Comunicação, Tatiana Ujacov, representando Carlos Eduardo Belineti Naegele, presidente do grupo Mídia Max, Lucimar Couto, diretor do Jornal Campo Grande News, Carlos Eduardo Bortolotti, do programa Noticidade da FM Capital 97, Sergio Cruz, jornalista e comentarista do programa Tribuna Livre, professor Marcelo Augusto Santos Turine, reitor da UFMS, padre Ricardo Carlos, reitor da UCDB, professora Leocádia Aglaé Petry Leme, reitora da Uniderp, Maurício Koji Saito, presidente da Famasul, João Carlos Polidoro da Silva, presidente da Associação Comercial de Campo Grande, Hermas Renan Rodrigues, presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas, Vera Jara, representando Thiago Asato, presidente da Associação dos Lojistas do Shopping Campo Grande, Edemir Jardim, presidente do Sinpetro/MS, Ricardo Ayache, presidente da Cassems, Fernando Jorge Manvailer Esgaib, presidente da Famé, Enier Guerreiro da Fonseca, presidente do Hospital Nosso Lar, Romário Garcia Pereira, presidente da Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária, Evandro Narciso de Lima, superintende da CEF, Ramón Alves de Almeida, representando o Banco ITAÚ e Rogério Carvalho, gerente geral do Banco Santander.

    Por último foram homenageados com título de Associados Honorários, aqueles que dedicaram sua vida à instituição e que hoje estão com mais de 75 anos. Aleixo Paraguassú Neto, Arnaldo Escheverria Molina, Athayde Nery de Freitas, Abílio Leite Barros representado por seu filho Leonardo Leite de Barros, Edson Carlos Contar, Nelson Heber Medina, representando Gabriel Medina, Izaías Gomes Ferro, Kei Uema, Leonardo Nunes da Cunha, Levy Dias, Nelson Nachif e Izaías Gomes Ferro.

    Após as homenagens, foi apresentado um vídeo institucional que contou um pouco dos 100 anos da história da Santa Casa e lançou o projeto do Memorial Camillo Boni, que deverá ocupar o prédio pioneiro da Instituição. Em seguida o vice-presidente da ABCG, Heitor Freire, fez o lançamento do livro “Santa Casa patrimônio de Mato Grosso do Sul-1917/2017”.

    Antes de encerrar a solenidade, o senador Pedro Chaves, homenageou a Santa Casa pelos seus 100 anos de existência. “Ao longo deste centenário, a Santa Casa prestou relevantes serviços de saúde a Mato Grosso do Sul, à região centro-oeste e aos países vizinhos como Paraguai e Bolívia. Entre 2009 e 2010, com muito orgulho fui presidente da Santa Casa. Em nome do presidente, Esacheu Nascimento, quero parabenizar os funcionários da Santa Casa, associados, diretores, corpo clinico, fornecedores, parceiros e todos aqueles e aquelas que batalham para que a instituição continue cuidando, com zelo e eficiência, da saúde da nossa população”, disse.

    O presidente da Confederação Brasileira das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, Edson Rogatti, finalizou o evento dizendo: “Antes das pessoas falarem da Santa Casa precisam, primeiramente, conhecer de perto este hospital. Saber quantas vidas são salvas pelos profissionais que aqui atuam. A Santa Casa de Campo Grande é exemplo para as outras Santas Casas espalhadas pelo Brasil”, finalizou.

    A história das Santas Casas de Misericórdia vem de um ideal de voluntariado nascido por volta do ano de 1481, quando por iniciativa da rainha de Portugal, Dona Leonor, surgiram as primeiras Santas Casas em terras de Portugal e em suas colônias.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS