Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 21 de agosto de 2017

    Presidentes do Brasil e do Paraguai “abraçam” corredor bioceânico, diz Moka

    © Divulgação
    O presidente Michel Temer, do Brasil, e Horacio Cartes, do Paraguai, garantiram nesta segunda-feira (21) apoiar os investimentos programados para viabilizar o Corredor Rodoviário Bioceânico, que ligará os oceanos Atlântico e Pacífico, na América do Sul. A rota cortará Campo Grande e Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul. 

    O compromisso dos presidentes foi assumido durante reunião nesta segunda-feira (21), no Palácio do Planalto, com o senador Waldemir Moka (PMDB) e o ministro de Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes Ferreira.
    © Divulgação
    De acordo com Moka, Cartes se disse empolgado com o projeto, garantindo que seu governo vai se esforçar para ajudar o Brasil a concluir as obras previstas, como a construção da ponte internacional sobre o Rio Paraguai em Porto Murtinho e Carmelo Peralta, e a pavimentação do trecho de rodovia do lado paraguaio.

    Projeto de decreto legislativo, que tramita na Câmara dos Deputados, aprova o acordo entre os governos dos dois países. A matéria foi aprovada na Comissão de Relações Exteriores e seguiu para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Casa, cujo relator é o deputado federal Elizeu Dionísio (PSDB-MS).

    Aprovada na Câmara, o projeto segue para o Senado, onde, de acordo com o senador sul-mato-grossense, não haverá dificuldade para aprovação, de maneira rápida. “Creio que a tramitação será rápida, pois não existe divergência nem polêmica sobre essa questão. O presidente Temer nos garantiu prioridade absoluta”, explica o senador.

    Moka também recebeu compromisso do ministro Aloysio Nunes de atuar para que os entraves burocráticos sejam superados rapidamente. O chanceler brasileiro afirmou que irá se reunir com os ministros do Planejamento e dos Transportes para acertar a viabilidade técnica e orçamentária da parte que cabe ao Brasil no projeto. A obra da ponte está orçada em R$ 300 milhões.

    O Corredor Rodoviário Bioceânico compreende as cidades brasileiras de Campo Grande e Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul; Carmelo Peralta, Mariscal Estigarribia e Pozo Hondo, no Paraguai; Misión La Paz, Tartagal, Jujuy e Salta, na Argentina; e Mejillones, em Iquique, no Chile.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS