Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 22 de agosto de 2017

    Pedrossian tinha visão crítica da sociedade, lembra Takimoto

    © Divulgação/ALMS
    Para o deputado estadual George Takimoto (PDT), o ex-governador Pedro Pedrossian já era um homem politicamente diferenciado bem antes de ingressar na vida publica, quando ainda era engenheiro da Noroeste do Brasil e percorria o então Mato Grosso semeando ideias renovadoras de gestão. 

    “Ele tinha consciência crítica da realidade que viia e a realidade que poderia ser construída. Era e estava sempre um passo ou mais à frente. Os dois Mato Grosso e o Brasil perdem um ser da mais alta qualificação humanista e política”, frisa Takimoto, ao comentar a morte de Pedrossian, na madrugada desta terça-feira, 22, por causas naturais. Tinha completado 89 anos no último dia 13.

    Segundo George Takimoto, poucos líderes populares foram tão produtivos e emblemáticos na história dos governadores brasileiros gerados a partir dos anos 1960, quando entrava em vigor a ditadura militar. Pedrossian se elegeu governador a primeira vez em 1965, antes da divisão e ainda pelo voto direto; a segunda vez, por nomeação do governo militar, em 1981, já em Mato Groso do Sul; e a terceira vez, com uma votação consagradora, em 1990. 

    “Nem mesmo na ditadura ele renunciou a convicções pessoais, algumas inclusive que desagradavam os ideólogos do golpe, como foi a de criar universidades, vistas na época como palcos de contestação ao regime”, pontua Takimoto. “Associo-me à dor de toda a família do Dr Pedro, uma dor que é de todos os sul-mato-grossenses. Ficamos com seu legado e sua revolução de visionário humanista e empreendedor”, conclui.

    Fonte: ASSECOM
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS