Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    domingo, 27 de agosto de 2017

    Pedro Chaves participa de audiência e lança cartilha em Sidrolândia

    © Divulgação 
    O senador Professor Pedro Chaves (PSC/MS) participa nesta segunda-feira (28), às 14h, em Sidrolândia – a 60 km de Campo Grande - da audiência pública promovida pela Câmara de Vereadores para debater a reforma do ensino médio, da qual foi relator no Senado. O público alvo da audiência é formado pelos alunos do 9º ano do ensino fundamental e de todo o ensino médio, além de professores das escolas públicas e particulares da cidade. Pedro Chaves vai aproveitar a audiência para lançar a cartilha que elaborou para explicar as mudanças que ocorrerão a partir do ano que vem.

    “Sidrolândia será o primeiro município do interior de Mato Grosso do Sul a receber a cartilha, que foi aprovada, com louvor, pelo Ministério da Educação. Vamos levá-la às demais regiões do nosso estado e já estamos negociando com o MEC para que ela chegue a todo o Brasil”, explicou o senador.

    Mudanças - A cartilha "Novo Ensino Médio: o que é importante saber” reúne, de maneira didática, perguntas e respostas sobre as principais mudanças trazidas pela Lei 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. A nova legislação promoveu a maior mudança estrutural da educação brasileira dos últimos 20 anos, tanto em relação aos currículos do ensino médio, quanto à Política de Fomento à Educação em Tempo Integral.

    “A nova legislação é um passo importante para que se inicie nas escolas programas, projetos e ações dinâmicas, que atendam as verdadeiras necessidades do aluno”, avalia o senador. "Fizemos a cartilha porque, quando debatíamos a reforma, surgiram muitas perguntas, das mais simples às mais complexas. É fundamental que todas as dúvidas sejam esclarecidas”, pondera.

    Entre as mudanças propostas no novo ensino médio abordadas na cartilha estão o fomento ao tempo integral, o incentivo às formações técnicas e a flexibilização do currículo, que deixa de ter 13 disciplinas obrigatórias e passa a ter apenas três. Isso permitirá aos estudantes optarem pelas áreas do conhecimento e itinerários formativos que estejam de acordo com suas vocações.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS